O abandono da psicoterapia pela ótica do psicólogo clínico

2016
iagor.b.leitao@gmail.com


A- A A+
O abandono da psicoterapia pela ótica do psicólogo clínico

O presente estudo ilustra a concepção de abandono da psicoterapia referente à clientela de um município do Norte do estado do Espírito Santo, pela ótica do psicólogo clínico. Foram entrevistados quatro psicólogos clínicos particulares da região, objetivando identificar como esses profissionais entendem a questão do abandono e quais as causas que, pela sua ótica, levaram o cliente/paciente a abandonar a psicoterapia. Utilizaram-se entrevistas semiestruturadas, as quais foram gravadas e transcritas, sendo analisadas por unidades de conteúdo com categorização dos diálogos. Os resultados mostraram que os homens adultos são os que mais abandonam a psicoterapia e que, para os profissionais entrevistados, o abandono tem como principais causas: (1) aspectos financeiros; (2) a busca pelo alívio imediato do sintoma; (3) o preconceito pela figura do psicólogo e o desconhecimento de seu trabalho; (4) a resistência e (5) os fatores contratransferenciais e transferenciais.

 Ler texto integral em PDF