PUB


Da tranquilidade e da calma à raiva

2017
joana_s.j_rodrigues@hotmail.com
Psicóloga clínica

A- A A+
Da tranquilidade e da calma à raiva

Provavelmente já passámos por esta situação ou conhecemos algumas pessoas que já possam ter passado. Aquela pessoa calma, tranquila, sempre de bem com os outros, dedicada e prestável... De repente há um dia em que grita e diz palavras agressivas a alguém... O que poderá levar a uma pessoa que está bem a ter um acesso de fúria? Até podemos compreender quando é uma situação isolada, estava num mau dia... Mas, e quando isso começa a acontecer com frequência? Por norma as pessoas à sua volta não percebem, e a própria pessoa sente-se culpada... Mas sente que não se consegue controlar. O que poderá estar por detrás disto?

Muitos de nós engolimos sapos para não nos chatearmos, para evitar conflitos e discussões ou porque temos receio que as relações se alterem e as pessoas fiquem aborrecidas e zangadas. Contudo, ao não exteriorizarmos as nossas opiniões, sensações, emoções e pensamentos, muitas vezes criamos uma tensão interna, porque vão ficando demasiadas questões acumuladas. E mesmo que digamos para nós próprios que é o melhor, o não dizer nada, não deixamos de ficar com essa acumulação só porque não queremos, e por mais que tentemos não pensar nisso... esse mal estar, essa frustração, essa tristeza acaba por sair de alguma forma. E muitas vezes de forma imprevisível...

Contudo, é um indicador de que alguma coisa não está a correr bem e que é preciso mudá-la, podem ser problemas nos relacionamentos pessoais, sejam familiares, amorosos ou amizades, ou profissionais. Ao percebermos o que nos está a acontecer, permite-nos parar e reflectir sobre o que não está bem e aprender mais sobre as nossas próprias emoções. Identificar os primeiros sinais do aparecimento da fúria e raiva, possibilita detê-la antes que cresça.

O primeiro passo é percebermos o que nos está a acontecer e querer mudar o que nos cria esse mal-estar e frustração. Contudo, essa tarefa pode ser a mais difícil, porque algumas das vezes podem ser situações que estão a ser vividas há muito tempo e mudá-las requer realmente uma atitude decidida. Depois se assumirmos que queremos essa mudança é possível aprender a gerir a raiva e melhorar a própria vida e a dos que nos rodeiam.

 

[ Por decisão pessoal, a autora do texto não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico. ]

Joana de São João Rodrigues

Joana de São João Rodrigues é Psicóloga, Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos e especialista em Psicologia Clínica e da Saúde. Possui licenciatura e mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. É Pós-Graduada em Educação Social e Intervenção Comunitária e Membro Associado da Associação Portuguesa de Terapias Comportamental e Cognitiva. É Formadora Certificada pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua. Desenvolveu actividade clínica de apoio a doentes com doença oncológica e seus familiares no Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil do Centro Regional de Oncologia de Lisboa, no Serviço da Clínica da Dor. Deu apoio psicológico às famílias e crianças com cardiopatias congénitas internadas no Hospital Vall d'Hebron para cirurgia através da Associació d'ajuda als Afectats de Cardiopaties Infantils de Catalunya (Associação de ajuda aos Afectados por Cardiopatias Infantis da Catalunha), em Barcelona. Desenvolveu actividade de apoio às necessidades das mulheres vítimas de violência doméstica/abuso sexual, pela Associação de Mulheres Contra a Violência, em Lisboa. Esteve integrada em diversos projectos de Cooperação Internacional, onde deu formação na área da promoção da saúde em Angola e Guiné-Bissau. Desde 2011 exerce clínica privada com jovens, adultos e seniores, e é técnica de cuidados continuados integrados de saúde mental na Associação para o Estudo e Integração Psicossocial, em Lisboa. Desde Março de 2016 que integra a Equipa da ClaraMente - Serviços de Psicologia Clínica e Psicoterapia, com o objectivo de promover a saúde mental e a qualidade de vida, disponibilizando serviços de Psicologia Clínica e Psicoterapia em consultório, domicílio e via online.

mais artigos de Joana de São João Rodrigues