PUB


 

 

O consumismo na época festiva

2018
andradesofia958@gmail.com
Mestre em Psicologia Clínica e de Aconselhamento. Formadora certificada pelo IEFP
Publicado no Psicologia.pt a: 2018-01-29

A- A A+
O consumismo na época festiva

Nesta época festiva de Natal observa-se, cada vez mais, a azáfama alucinante aos supermercados, hipermercados, já para não se falar aos centros comerciais, numa constante procura dos melhores presentes de Natal.

As unidades hoteleiras estão cada vez mais sobrelotadas, com ofertas variadas e acessíveis de serviços, para quem prefere deixar o costume tradicional em família e passar uns dias no conforto de um hotel.

O conceito tradicional do Natal tem-se vindo a perder com o continuar do tempo. Embora seja uma quadra de festividade familiar e religiosa, verifica-se cada vez mais a prioridade material, cuja referência é o "Pai Natal".

Será que nos esquecemos do significado real do Natal?! Seria interessante refletirmos sobre este assunto, fazendo um treino emocional sobre como encaramos o Natal e o que este significa para cada um de nós.

Ao fazermos uma análise crítica sobre estas questões ajustamos o nosso pensamento, organizamos ideias para posteriormente adaptarmos outros comportamentos considerados mais saudáveis que fazem a diferença no ser humano: o altruísmo, o companheirismo e o espírito solidário.

Estar com a família reunida na ceia de natal e convidar os amigos para jantar são práticas que se trocaram por muitas famílias, dando origem ao consumismo exagerado, que de certa forma nos leva a compensar e a preencher algo que nos falta.

Lanço agora a questão? E se substituíssemos os valores materiais pelos afetos? Desta forma, deixaríamos de nos preocupar com o “Ter”, e passaríamos a contemplar o saber “Ser/Estar”.

Importa sublinhar que o importante na quadra natalícia é promovermos a troca de afetos, praticarmos o lado solidário e social de forma a estimular o bem-estar emocional e dedicar mais tempo ao que nos dá prazer fazer. Nomeadamente ler um livro, cozinhar, praticar algum exercício físico, receber a família e amigos e, essencialmente, ter tempo para os filhos, promovendo neles os valores da partilha, do altruísmo e da solidariedade.

Podemos aproveitar para fazer uma reciclagem em objetos que já não usamos, mas que se encontram em bom estado, doando os mesmos a IPSS ou a famílias carenciadas. São pequenos exemplos que fazem, com toda a certeza, famílias mais felizes!

O essencial nesta época é aproveitar o momento familiar, na partilha e troca de experiências e vivências afetivas. Todos estes aspetos darão um especial significado ao verdadeiro Natal, deixando de lado a simbologia consumista, que nos causa algum desconforto, e aproveitar para aprimorar valores como a harmonia de estar na presença dos que mais amamos.

 

Sofia Andrade

Sofia Alexandra de Jesus Andrade é psicóloga, especialista em Psicologia Clínica e de Aconselhamento. É Membro da Ordem dos Psicólogos Portugueses, e Membro Associado do MDM. É também membro de uma IPSS em Lisboa. É Licenciada em Psicologia e Mestre em Psicologia Clínica e de Aconselhamento pela Universidade Autónoma de Lisboa, tendo realizado um estágio de mestrado via profissionalizante na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Seixal, onde adquiriu competências pessoais e sociais com crianças e jovens em risco. Realizou também um estágio de Licenciatura no Gabinete de Saúde Ocupacional da Câmara Municipal do Seixal, onde desenvolveu um estudo sobre o levantamento do Absentismo Prolongado dos trabalhadores, bem como consultas de desabituação tabágica. Trabalha há vários anos na Administração Pública, além de ser formadora certificada pelo IEFP e apoiar várias causas sociais e políticas, sendo participante ativa em causas voluntárias. Atualmente dedica-se também à escrita sendo autora do livro intitulado: “Crianças e Jovens em Perigo. Estudos de Caso”, publicado em https://www.morebooks.de

mais artigos de Sofia Andrade