Sobre Crenças e Afins

As diferentes correntes e modelos teóricos. Novas abordagens e novos contextos de intervenção. A teoria e a prática, os conceitos e as estratégias. Preocupações éticas e deontológicas. etc.

Moderador: César

João Pedro Silva
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 3
Registado: segunda jul 05, 2010 11:41 pm

Sobre Crenças e Afins

Mensagempor João Pedro Silva » terça ago 16, 2011 3:20 pm

Não pude deixar de considerar uma discussão, num tópico situado numa categoria diferente, deveras pertinente uma vez que visa um assunto que julgo poder adquirir contornos falaciosos.
Não resisti ao impeto de comentar pelo que, assim justifico a minha ousadia em criar este tópico.
Uma vez disseram-me algo sobre a espiritualidade e as crenças de uma forma subtil, insinuando que tais áreas somente são legadas a "maluquinhos". Ouvi tal da boca de um psicólogo com formação psicoterapêutica. Na altura considerei sensato abster-me de comentar seja o que for. O facto é que as crenças pessoais de um profissional em saúde mental estarão sempre inerentes na sua prática até porque, de certa forma, podem orientar o tipo de formação ao longo do período académico. Apesar de tal, as crenças pessoais devem ficar por aí. Não se devem transportá-las para a prática dado que, na mesma, trabalha-se a partir das crenças do cliente e não do próprio terapeuta.
Tem-se falado muito na ética dos psicólogos e da sua prestação em meios audio-visuais, havendo menções ocasionais relativamente ao trato das crenças. Na base de tudo encontra-se o pragmatismo. Quando um um profissional deixa de ser pragmático (na sua assumpção mais ciêntifica) perde toda a credibilidade que possa ter. É assustador pensar que um profissional em saúde mental possa dar mais relevo às suas crenças pessoais em detrimento da objectividade ciêntifica.
Não dúvido que haja excelentes psicólogos entre nós. Aproveito para dizer que tenho apreciado a intervenção de muitos neste fórum.
Quanto ao ambito da discussão sobre factos religiosos e assuntos de natureza espiritual, não os comentarei de momento. Tais são mais do âmbito da Teologia e da Teosofia.
Nova
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 57
Registado: sexta set 24, 2010 3:10 pm

Re: Sobre Crenças e Afins

Mensagempor Nova » quarta set 14, 2011 12:53 pm

Concordo com o João. Quando efectuei o meu estágio curricular deparei-me com um supervisor suficientemente conceituado e formado (doutor, teórico e psicoterapeuta) com largos anos de experiência que partilhava da tal ideia de estes assuntos serem para "maluquinhos" ou pessoas com baixo QI. Se até alguns de nós pensam assim... Eu não tenho crenças religiosas porque para mim não faz sentido, mas não rotulo um paciente que as tenha, não tenho pré-conceitos pois cada um escolhe o que mais sentido faz para a sua vida. Também não creio que o facto de ser crente necessariamente interfira com a qualidade do trabalho. No entanto, muitas vezes interferirá, pois muitos de nós não têm capacidade sufiente nem ética para se distanciarem de si próprios e se centrarem apenas no que têm à frente.

Por isto, acredito que muitos não efectuem um trabalho de qualidade mercê da interferência ou das suas crenças religiosas, ou das suas concepções sobre a homossexualidade (por exemplo, porque há bastantes psicólogos que a categorizam como desvio), quer por preconceito em relação a qualquer característica com a qual não são capazes de lidar (pedofilia, casos de traição conjugal, etc.) Para psi pouco experiente, já ouvi muita coisa... Outros não efectuam o tal trabalho de qualidade porque, embora não sejam eles os crentes, podem ter à sua frente alguém que o seja e, como tal, terem preconceito em relação a isso. O exemplo do meu supervisor que acreditava (lá está, todos acreditam em alguma coisa) não ser possível trabalhar um paciente com crenças religiosas porque este não tinha capacidade para ser "trabalhado". Mais do que lermos muitos estudos científicos que abordam estas questões, temos que ser capazes de, na hora H, nos desprender-mos destas concepções e olhar a pessoa que está connosco e a nossa atitude para com ela.
Ana Rita
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1794
Registado: terça ago 31, 2004 1:44 pm
Localização: Lisboa

Re: Sobre Crenças e Afins

Mensagempor Ana Rita » quarta set 14, 2011 10:54 pm

A imparcialidade é desde sempre um dos nossos principais pilares, se não soubermos ser imparciais não conseguimos ajudar as pessoas. No entanto, não deixa de ser curioso que por vezes uma opinião pessoal transmitida de forma genuína tem efeitos muito mais positivos do que qualquer imparcialidade. Temos de saber é quando a podemos utilizar.
Há uma diferença ainda entre crenças e determinadas perturbações... e podem existir determinadas perturbações com a qual um psicólogo não consiga ser imparcial. Refiro-me por exemplo ao exemplo dado da pedofilia. Sei que seria uma má psicóloga para alguém com este problema (excepto se já estivesse preso!) :) e tenho o direito de não querer ser imparcial, assim como o dever de não acompanhar essa pessoa e reencaminhá-la para um colega. Ainda assim, não é algo que surja propriamente na prática clinica. Nenhum pedófilo vem a um consultório pedir ajuda para deixar de ser. Todas as perturbações têm uma explicação e podem ser entendidas do ponto de vista psicológico, o que é diferente de serem aceites.
A imparcialidade tem limites, somos seres humanos e cabe-nos a nós ter a responsabilidade de os conhecer para podermos fazer um bom trabalho ou para deixarmos outros fazerem o que não somos capazes.

Discordo totalmente desse professor que refere que as pessoas com crenças religiosas não possam ser "trabalhadas". A relação terapeutica pode perfeitamente ajudar a pessoa a manter um equilibrio com a sua própria crença. A ideia não é a pessoa deixar de acreditar, mas ter uma relação mais funcional com a sua crença. Há pessoas por exemplo que têm comportamentos extremamente auto-punitivos devido a determinadas crenças e podem com o tempo atenuar a severidade com que os aplicam assim como a culpabilidade. Se o professor dissesse "algumas pessoas com determinadas crenças não podem ser trabalhadas", aí já concordaria, mas não é muito diferente de outra pessoa qualquer não o poder ser, pois em última instância depende da sua propria vontade, recursos mentais e capacidades e não da nossa. Também há pessoas narcisicas, histriónicas, dependentes etc que não conseguimos trabalhar... e outras que sim.
Se caíres sete vezes, levanta-te oito.
Avatar do Utilizador
Liliana Costa
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 627
Registado: terça fev 01, 2005 2:14 pm
Localização: Amarante,Porto
Contacto:

Re: Sobre Crenças e Afins

Mensagempor Liliana Costa » quinta out 06, 2011 9:08 pm

Por vezes gostava de ter aqui um botão "Like" ....força do hábito mas dava jeito para aprovar um dado comentário :D

Voltar para “Campos de Acção, Modelos e Exercício”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante