Artigo 119 - Dislexia

As diferentes correntes e modelos teóricos. Novas abordagens e novos contextos de intervenção. A teoria e a prática, os conceitos e as estratégias. Preocupações éticas e deontológicas. etc.

Moderador: César

Dalila
Membro Regular
Membro Regular
Mensagens: 75
Registado: segunda jan 31, 2005 6:08 pm
Localização: Odivelas
Contacto:

Artigo 119 - Dislexia

Mensagempor Dalila » segunda mai 16, 2005 10:33 am

caros colegas perante um caso de dislexia e de disortografia, uma criança que tenha testes com classificaçoes de suf - e suf, estando no 2º ano do ensino primario, encontra se em risco de ser retida. existe algum artigo que a possa proteger? já ouvi falar do artigo 119. mas não sei o que diz em concreto. se alguem me puder ajudar.


Saudaçoes

Dalila
minerva
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 5
Registado: quinta set 25, 2003 2:12 pm
Localização: Aveiro

Mensagempor minerva » segunda mai 16, 2005 10:54 am

Se a criança é de facto disléxica, será que se justifica retê-la?

Na minha opinião a criança deve transitar e passar a beneficiar apoio pedagógico acrescido e de um programa de reeducação da dislexia, por professor especializado.

A criança deverá ser protegida pelo D.L. 319, alínea que se refere às condições especiais de avaliação.

Saudações psicológicas!
Avatar do Utilizador
Dragoness
Membro Regular
Membro Regular
Mensagens: 70
Registado: terça set 28, 2004 1:15 pm

Mensagempor Dragoness » segunda mai 16, 2005 12:32 pm

Uma criança com NEE não pode ser retida devido aos resultados escolares que no fundo são uma consequência da sua incapacidade.

http://www.prof2000.pt/users/esam/NEE/dl319-91.htm

O professor ou a professora da criança não pode retê-la de ânimo leve. Há um relatório com a avaliação da criança no processo escolar desta? No relatório consta o que deve ser feito nas áreas de apoio e avaliação escolar?

Se esse relatório não existe, convém fazê-lo e anexa-lo ao processo escolar da criança.

Se já há esse relatório, explique ao professor, que ele incorre numa sanção caso haja uma inspecção à escola. Costuma ser o suficiente, para o professor mudar de ideias. Se não mudar, contacte a Direcção Regional de Educação da sua área.

Ou então entre em contacto com a Associação Portuguesa de Dislexia.

http://www.apdis.com/
"The Child is father of the Man..."
William Wordsworth. 1770–1850
Dalila
Membro Regular
Membro Regular
Mensagens: 75
Registado: segunda jan 31, 2005 6:08 pm
Localização: Odivelas
Contacto:

Mensagempor Dalila » segunda mai 16, 2005 12:57 pm

caro colega, obrigada pelo esclarecimento. qualquer duvida que me apareça entrarei em contacto consigo.

Atenciosamente

Dalila
Avatar do Utilizador
Dragoness
Membro Regular
Membro Regular
Mensagens: 70
Registado: terça set 28, 2004 1:15 pm

Mensagempor Dragoness » segunda mai 16, 2005 1:28 pm

Boa sorte.

PS- também é preciso uma boa dose de diplomacia. Não convém hostilizar muito o professor da criança.
"The Child is father of the Man..."

William Wordsworth. 1770–1850
abcde
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 5
Registado: terça abr 26, 2005 6:43 pm

Mensagempor abcde » segunda mai 16, 2005 5:30 pm

Lá estão os psicólogos outra vez a meterem o bedelho onde não são chamados. A dislexia deve sempre ser seguida por médico neurologista e por terapeuta da fala. Tudo o resto é negar aos disléxicos a equipa mais qualificada para tratar destes casos.
Já se cansaram de fazer os testes de orientação profissional? Ou é a pressão do desemprego que os obriga a inventar novas áreas de actuação?
Avatar do Utilizador
César
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 99
Registado: terça fev 10, 2004 10:03 pm

Mensagempor César » segunda mai 16, 2005 7:40 pm

Caro abcde,

Para uma compreensão completa das perturbações de desenvolvimento, como é o caso da dislexia, a análise deve ser feita a 3 níveis: biológico, cognitivo e comportamental (cf. Frith, 2001).
Ora, os níveis de análise cognitivo e comportamental são campos da Psicologia, como sabe.

Como saberá também, ganha cada vez mais força a ideia de que a dislexia reflecte, a nível cognitivo, um défice no módulo fonológico da linguagem - um défice no interior do sistema de linguagem. E o treino da consciência fonológica tem-se revelado a perspectiva mais eficaz para intervir em indivíduos disléxicos (falo de dislexia de desenvolvimento). A intervenção cognitiva é da competência do psicólogo.

Acresce que grandes nomes internacionais da investigação nesta área são psicólogos ou neuropsicólogos (e.g., Margaret Snowling, Uta Frith, Max Coltheart, Franck Ramus), dirigindo centros de investigação na área das Neurociências Cognitivas em locais como MacQuarie University (Sydney) ou University College London.

Estes centros reunem equipas multidisciplinares onde o neurologista é um profissional como outros, tão fundamental quanto o psicólogo. Acresce o facto de que cada vez mais há psicólogos com formação em Neuropsicologia.

Argumentaria ainda que não podemos abordar a dislexia de modo isolado do indivíduo disléxico. Isto é, à dislexia associam-se problemáticas emocionais e sociais que necessitam também de intervenção psicológica.

Dar a uma criança (ou adulto) disléxico um apoio eficaz é garantir que o profissional que fará a avaliação e intervenção tenha formação específica e aprofundada na área... seja este psicólogo, psicopedagogo, terapeuta da fala, logopeda, médico psiquiatra ou neurologista!

Saudações
César F. Lima
Psicólogo, Universidade do Porto
Dalila
Membro Regular
Membro Regular
Mensagens: 75
Registado: segunda jan 31, 2005 6:08 pm
Localização: Odivelas
Contacto:

caro Abced

Mensagempor Dalila » quinta mai 19, 2005 11:08 am

para que não julguem que uma criança dislexica deva ser apenas acompanhada por um psicologo, encaminhei para um centro proprio de intervençao onde para além do psicologo existe uma equipa pluridisciplinar. sendo assim feitos exames medicos, e terá um acompanhamento mais especializado.

agora o porque do senhor abcde.... vir ao site dos psicologos meter o BEDELHO onde não é chamado. ?????


cada um deve saber onde é o seu lugar e se voçe não é psicologo não diga mal de uma profissao que não é a sua pois um poderá vir a precisar de um.

conheça se primeiro e depois fale do que o rodeia, as melhoras....

aos outros colegas que me ajudaram os meus agradecimentos


atenciosamente

Dalila
leonardorosa
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 552
Registado: quarta mai 10, 2006 4:13 pm
Localização: Lisboa

e ainda o abcde...

Mensagempor leonardorosa » terça jun 17, 2008 3:59 pm

eh pá... este gajo(a) não existe... pobres utentes que lhe calharem na rifa...
Bacelar
Membro Sénior
Membro Sénior
Mensagens: 358
Registado: terça mar 04, 2008 3:10 pm
Localização: Lisboa

Mensagempor Bacelar » quinta jul 03, 2008 1:08 am

8) o abcde é um gozão!!!

Será que ele sabe distinguir um Psicólogo Educacional de um Psicólogo Clínico e Psicólogo da Saúde?

Será que sabe a diferença entre um Psiquiatra, um Pedopsiquiatra, um Pediatra, um Psicoterapeuta, um Neuropsicólogo, um Psicólogo, um Psicopedagogo, um Assistente Psicossocial?

Ou os constrastes entre Psicologia da Saúde e Psicologia Clínica?


Com os melhores cumprimentos
Sem ferir susceptibilidades
BACELAR
_____________________________________________________________
Os ignorantes movem-se na dúvida em direcção a uma resposta no futuro enquanto que os "espertos" partem do príncipio que sabem a resposta.
Bacelar
Membro Sénior
Membro Sénior
Mensagens: 358
Registado: terça mar 04, 2008 3:10 pm
Localização: Lisboa

Mensagempor Bacelar » quinta jul 03, 2008 1:30 am

8) o abcde é um gozão!!!

Será que sabe a diferença entre um Psiquiatra, um Pedopsiquiatra, um Pediatra, um Psicoterapeuta, um Neuropsicólogo, um Psicólogo, um Psicopedagogo, um Assistente Psicossocial?

Ou os constrastes entre Psicologia da Saúde e Psicologia Clínica?


Com os melhores cumprimentos
Sem ferir susceptibilidades
BACELAR
_____________________________________________________________
Os ignorantes movem-se na dúvida em direcção a uma resposta no futuro enquanto que os "espertos" partem do príncipio que sabem a resposta.
psirui
Membro Expert
Membro Expert
Mensagens: 760
Registado: quinta mar 09, 2006 2:21 am

Mensagempor psirui » sexta jul 04, 2008 5:38 pm

abcde Escreveu:Lá estão os psicólogos outra vez a meterem o bedelho onde não são chamados. A dislexia deve sempre ser seguida por médico neurologista e por terapeuta da fala. Tudo o resto é negar aos disléxicos a equipa mais qualificada para tratar destes casos.
Já se cansaram de fazer os testes de orientação profissional? Ou é a pressão do desemprego que os obriga a inventar novas áreas de actuação?


Ó ABCDE....e por aí fora....mas quem é você para dizer as barbaridades que diz?
Ora diga lá....
FUI ROUBADO NO Nº DE MENSAGENS QUE TINHA NO FÒRUM E POR VEZES APAGAM OS MEUS POST´S!!!
Cristina Silva
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 800
Registado: quinta out 25, 2007 9:52 am

Mensagempor Cristina Silva » segunda jul 07, 2008 12:06 am

abcde Escreveu:Lá estão os psicólogos outra vez a meterem o bedelho onde não são chamados. A dislexia deve sempre ser seguida por médico neurologista e por terapeuta da fala. Tudo o resto é negar aos disléxicos a equipa mais qualificada para tratar destes casos.
Já se cansaram de fazer os testes de orientação profissional? Ou é a pressão do desemprego que os obriga a inventar novas áreas de actuação?



:lol: :lol: :lol: :lol: :lol:
Só pode ser piada!

Então a dislexia é sempre e apenas um problema neurológico? Devia ler alguém que para si devia ser um Mestre, João dos Santos, que além de pedopsiquiatra (logo médico e psiquiatra), foi também um grande psicanalista e um grande pedagogo, entre outras coisas.

Devia ler o que ele diz sobre a dislexia. Olhe que aprendia qualquer coisita.

Um psicólogo para estes casos, é muito importante sabe porquê? Exactamente para despistar da necessidade ou não de um encaminhamento e de uma intervenção neurológica, pois há testes psicológicos (que só os psicólogos podem aplicar) que permitem verificar da eventualidade de “lesões” ao nível neurológico, as chamadas “organicidades”.
Nos casos em que tal não se verifica (que são muitos, senão a maioria), como tão bem dizia João dos Santos, deve-se evitar o perigo da psiquiatrização.

Os pedopsiquiatras sérios sabem disto, e por isso, quando é necessário solicitam aos psicólogos a sua intervenção no que aos testes diz respeito, para um melhor diagnóstico e orientação terapêutica, na qual, como é lógico deve fazer parte o trabalho fundamental de um terapeuta da fala. Eu trabalhei com alguns e sei bem do que falo, pois casos de dislexia era coisa que não faltava
Os psicólogos, idem-idem, aspas-aspas: em caso de verificação de “organicidades” devem encaminhar também para a neurologia, como é lógico.

Eu até lhe deixava aqui umas passagens do João dos Santos mas não me vou dar ao trabalho.

Só uma nota, o João dos Santos, também ele sofreu de dislexia até muito tarde e curiosamente fez a seguinte previsão:"Penso que a facilitação da entrada precoce para a escola primária vai originar no nosso país um surto grave de dislexias”. Que previsão certeira!
Vivemos numa altura em que nunca se viu tantas dislexias!

Vá, leia lá umas coisitas e depois venha para aqui falar seriamente. É que já lhe fica ridículo, além de que deve haver muitos psiquiatras com vergonha de um representante do seu nível.

O que vale é que eu acho que só se quer é divertir, pois de psi tem muito pouco e talvez mais de louco do que de médico.

Cristina Silva

Voltar para “Campos de Acção, Modelos e Exercício”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante