Inconsciente / Sonhos

  • Photo

    Aurora

    O filme acompanha Lukas (Marius Jampolskis), um cientista selecionado para participar de uma experiência de “transferência neuronal” que envolve coloca-lo num tanque de privação sensorial com o seu cérebro conectado a sensores, através dos quais ele tentará fazer uma conexão mental com o psiquismo de uma paciente em estado de coma chamada Aurora.

    Os cientistas estão à espera de qualquer indício vago de conexão, mas depois de uma falsa ligação inicial marcada por ruídos e biofeedbacks, Lukas de repente salta para os mais obscuros e recônditos locais do inconsciente. A partir daí, a maior parte do filme passará no interior das viagens alucinatórias de Lukas no interior do labirinto mental de Aurora.

    Embora Lukas tenha sido orientado pelos cientistas a se manter um observador imparcial durante as incursões psíquicas, ele rapidamente deixará para trás a ética profissional para dar início a um tórrido caso de amor num mundo de sonhos psicadélicos, incluindo uma praia paradisíaca, uma casa de óperas vazia e uma casa de madeira cuja arquitetura parece ser o resultado do cruzamento dos desenhos de MC Escher com a cenografia do filme «O Gabinete do Dr. Caligari» de Robert Wiene.

    Lukas entrega-se e começa a literalmente nadar no infinito oceano psíquico de Aurora e beijar e mergulhar no desconhecido: um mundo livre e sem culpas feito de erotismo, orgias e ao mesmo tempo infantil e primitivo, como na sequência de uma festa imaginária onde os dois espirram um no outro vinho, sopas e amoras, mastigando no meio de seus rostos e saboreando a textura dos alimentos contra a suas peles.

    Logo podemos entender porque Lukas começa a se viciar e a querer sempre mais, escondendo essas interações da equipe de cientistas que monitora as sinapses cerebrais da experiência. Eles nada podem saber o que ocorre já que apenas observam nas telas efeitos fractais mórficos de luz branca difusa e mapas neuronais que cintilam como corpos celestes no vazio. Lukas ficará tão dependente que prejudicará sua vida conjugal tornando insustentável a duplicidade da sua vida de vigília e as viagens oníricas. Torna-se obcecado em saber o motivo do estado de coma de Aurora (Jurga Jutaite, numa performance hipnótica e poderosa) e penetra cada vez mais fundo no buraco de coelho do inconsciente, procurando dar sentido às suas memórias e tentar trazê-la para o mundo dos vivos.