PUB


Federação de Psicoterapia contra proposta que define “acto do psicólogo”

A- A A+
Federação de Psicoterapia contra proposta que define “acto do psicólogo”

Fonte: Público
Data: 2017-02-14

A Federação Portuguesa de Psicoterapia está contra a proposta legislativa que define o “acto do psicólogo”, por considerar que, tal como está, o diploma deixa de fora da prática de psicoterapia todos os profissionais que não sejam psicólogos.

A proposta, que foi aprovada no ano passado em Conselho de Ministros e que está agora a ser ultimada com os contributos de várias ordens profissionais e sociedades, define que “o acto do psicólogo consiste na actividade de avaliação psicológica, que abrange diferentes áreas e que inclui os procedimentos de construção e aplicação de protocolo de avaliação, a elaboração de relatórios de avaliação e a comunicação dos respectivos resultados, assim como de diagnóstico, análise, prescrição e intervenção psicológica ou psicoterapêutica não farmacológica”.

No entendimento da Federação Portuguesa de Psicoterapia, a expressão “intervenção psicológica ou psicoterapêutica” vai deixar o exercício da psicoterapia apenas nas mãos dos psicólogos. Actualmente, explicou ao PÚBLICO a presidente desta estrutura que representa 17 sociedades e associações ligadas à psicoterapia, Ângela Ribeiro, a actividade pode ser exercida por outros profissionais, como “psiquiatras, enfermeiros, mas também sociólogos ou filósofos” – desde que façam uma formação de quatro anos, composta por uma parte teórica, uma parte em que o profissional se submete a psicoterapia e uma outra em que exerce de forma supervisionada.

 

 Ler notícia completa