Rita Barros

Rita Barros é Professora Coordenadora do Instituto Piaget, sendo responsável pelas unidades curriculares da área científica da Psicologia. É Licenciada e Mestre em Psicologia (especialização em Psicologia e Saúde) pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Porto. Possui Diploma de Estudos Avançados em Desenvolvimento Pessoal e Intervenção Social pelo Departamento de Psicologia Evolutiva e da Educação da Universidade de Valência. É Doutorada em Ciências da Educação pela Faculdade de Ciências da Educação da Universidade de Santiago de Compostela. É Membro Efectivo da Ordem dos Psicólogos, com larga experiência profissional como psicóloga, quer em contexto hospitalar e de clínica privada, quer ao nível da intervenção comunitária.

  • Como tornar os jovens Cidadãos Digitais? Contributos do Projeto MINDtheGaps

    Como tornar os jovens Cidadãos Digitais? Contributos do Projeto MINDtheGaps

    Os atuais contextos sociais em que se desenvolvem os jovens diferem substancialmente daqueles que moldaram as gerações anteriores e para esse diferencial contribui muito significativamente a utilização das tecnologias digitais e das redes sociais online. A cultura juvenil, não dispensando a atividade online, enfrenta grandes desafios. A tecnologia e os media digitais proporcionam aos jovens novas experiências, o acesso a múltiplos contextos, aos quais acedem com um simples clique, e a exploração de identidades, uma questão tão central quando nos reportamos aos processos desenvolvimentais da adolescência. É neste âmbito que surge o conceito de Cidadania Digital, um foco de interesse para os jovens e menos jovens, quer pelas potencialidades que o acesso à internet proporciona, quer pelas limitações, riscos e perigos a ele associados. ler artigo

  • O ERASMUS+ enquanto desafio para os Psicólogos Escolares - o exemplo do projeto BE PART

    O ERASMUS+ enquanto desafio para os Psicólogos Escolares - o exemplo do projeto BE PART

    Alguns dos maiores desafios que atualmente se colocam à Psicologia Escolar traduzem-se (i) na promoção do desenvolvimento global e harmonioso dos alunos, capacitando-os para o exercício de uma cidadania plena, (ii) na promoção da igualdade de oportunidades e a educação inclusiva e (iii) na construção de respostas às necessidades dos grupos vulneráveis e menos qualificados. A consultoria, mas, sobretudo, a participação ativa na participação em projetos e programas que envolvem a comunidade escolar no sistema de relações interpessoais são estratégias privilegiadas que devem merecer a atenção dos psicólogos. ler artigo

  • Promoção da literacia digital num estabelecimento prisional feminino: o projeto e-pris

    Promoção da literacia digital num estabelecimento prisional feminino: o projeto e-pris

    A promoção do acesso a oportunidades de aprendizagem é um aspeto fundamental para a promoção do desenvolvimento económico e uma condição necessária para a coesão social. Contudo, os pressupostos humanistas que sustentam o paradigma da Aprendizagem ao Longo da Vida colidem muitas vezes com realidades sociais em que as desigualdades se evidenciam, particularmente no que diz respeito à possibilidade de participação em atividades de aprendizagem em contextos não formais - algo ainda mais notório quando observamos as mulheres que se encontram em situação de reclusão. ler artigo

  • No encalço do bem-estar  e da realização humana: do desencanto com o progresso e com a prosperidade à tentativa de redefinição do projecto de uma possível pós-modernidade

    No encalço do bem-estar e da realização humana: do desencanto com o progresso e com a prosperidade à tentativa de redefinição do projecto de uma possível pós-modernidade

    O presente da humanidade caracteriza-se por um processo de profunda e vertiginosa mudança com impacto na forma como o homem (pós) moderno concebe o mundo e olha para si mesmo. A questão do bem-estar, enquanto finalidade última da existência humana, torna-se cada vez mais pertinente, particularmente no domínio das ciências humanas, e ascendeu ao domínio dos ideais superiores. Embora a maioria das pessoas se diga feliz, de acordo com o World Database of Happiness , a verdade é que a depressão e a ansiedade são processos patológicos cada vez mais frequentes, de tal forma que a OMS ponta a depressão como a grande “epidemia” em 2025. ler artigo

  • Considerações no domínio da Psicologia Positiva

    Considerações no domínio da Psicologia Positiva

    Um dos desafios que nos últimos anos a Psicologia tem abraçado prende-se com a compreensão dos aspectos não patológicos do funcionamento da personalidade ou, dito de outro modo, com a análise das potencialidades humanas e com as condições que sustentam o funcionamento óptimo de pessoas, grupos e instituições. Este novo foco de interesse consubstanciou-se num movimento designado por Psicologia Positiva, cuja emergência se situa na última década do século XX, nos EUA. ler artigo