Desabafos: 28 anos de uma vida deficiente...

Regras do Fórum
-----------
O Psicologia.pt não é responsável pelas intervenções dos vários participantes neste Fórum, sendo o teor desses conteúdos, bem como a utilização que se faça dos mesmos, da exclusiva e total responsabilidade de cada utilizador.
Com o objectivo de permitir o total anonimato, o fórum "Pergunte ao Psicólogo" é o único onde é possível a publicação de tópicos por utilizadores não registados.
Ao mesmo tempo, e como deve ser do entendimento de todos, o carácter "anónimo" dos fóruns faz com que este espaço não ofereça condições para interações que se desenvolvam para além da mera "troca de opiniões".
É expressamente proibida neste fórum a divulgação de serviços de psicologia bem como de quaisquer contactos de psicólogos (nomes, nºs de telefone, moradas e outros contactos).
O Psicologia.pt não se responsabiliza pelo rigor técnico e científico, idoneidade e respeito pelos princípios éticos e deontológicos de toda e qualquer participação.

Responder

Código de Confirmação
As letras são maiúsculas e minúsculas. Escreva-as exatamente como aparecem.

BBCode está DESLIGADO
Emoções estão Desligadas

Rever o Tópico
   

Ver mais detalhes Rever o Tópico: Desabafos: 28 anos de uma vida deficiente...

Mensagem por werty » terça mai 04, 2010 9:31 pm

Marta Soares Dores Escreveu::shock: Estou estupefacta...
Até me sinto mal por me preocupar com os meus "problemas"... que comparados com isto são completamente insignificantes.
Desculpe o cliché, mas acho que o Urostomizado é uma força da natureza. Sinceramente, acho que a sua função no mundo é a de transmitir coragem aos outros. Não desista, pois acredite que é um exemplo. Apesar de todos condicionalismos, nunca pensou em fazer voluntariado num hospital? É que transmitir a sua história de vida iria certamente dar coragem e força de viver a todos o que o ouvissem, além de lhe poder fazer sentir muito bem consigo próprio, sentir que está a contribuir para uma mudança positiva nos outros.
Não desista nunca, acredite no seu potencial!


Também eu... é um herói.

Mensagem por Marta Soares Dores » sexta out 23, 2009 3:34 pm

:shock: Estou estupefacta...
Até me sinto mal por me preocupar com os meus "problemas"... que comparados com isto são completamente insignificantes.
Desculpe o cliché, mas acho que o Urostomizado é uma força da natureza. Sinceramente, acho que a sua função no mundo é a de transmitir coragem aos outros. Não desista, pois acredite que é um exemplo. Apesar de todos condicionalismos, nunca pensou em fazer voluntariado num hospital? É que transmitir a sua história de vida iria certamente dar coragem e força de viver a todos o que o ouvissem, além de lhe poder fazer sentir muito bem consigo próprio, sentir que está a contribuir para uma mudança positiva nos outros.
Não desista nunca, acredite no seu potencial!

Mensagem por FerreiraNuno » quinta out 22, 2009 10:02 pm

Urostomizado Escreveu:Sinto-me cada vez mais a afundar. Estou vazio de sentimentos, vazio de sonhos, vazio de esperanças, vazio de objectivos. Sinto uma raiva enorme de tudo e de todos. Não tenho vontade para nada, não tenho vontade para trabalhar, não tenho vontade para conviver socialmente, não tenho vontade sequer para fazer uma simples compra. Tudo me parece tão inutil, tão desprovido de sentido. Tudo o que faço acaba sempre por dar errado, mesmo quando seria praticamente impossivel que tal acontecesse. Estou farto das pessoas à minha volta, estou farto de ver pessoas que têm oportunidade para fazer tudo e nada fazem, enquanto que eu gostaria de ter essa oportunidade e não a posso ter. Estou cansado. Cansado de me deitar todas as noites e pensar em tudo o que perdi, em tudo o que não posso ter nunca mais. Estou cansado de acordar todos os dias em sobressalto. Estou cansado de tentar viver neste mundo.


A situação que enfrenta, é o tipo de situação que questiona-mos ser possivel de existir. Como pode, uma vida ser tão cruel, como pode uma vida ser tão ingrata? Todas as nossas acções, todas as mais belas e grandiosas decisões por nós tomadas, todas as nossas passadas vivencias que recordamos com um sorriso na cara. Será, que todas estas coisas boas, aquilo que pelos outros fazemos, porquê, porquê nao existe uma resposta por parte deste mundo, uma resposta que seja digna de todo o nosso esforço. Se tal não acontecer, o esforçarmo-nos para fazer alguém feliz e depois não ser feliz também questionamo-nos, quem somos nós realmente? Será que existo? Se existo como pode tal acontecer-me? Urostomizado, peço desculpa mas vou trata-lo agora na 2ª pessoa do singular. Urostomizado tu existes, e se existem é por alguma razão, para alguma causa. A maior felicidade que algum dia poderemos alcançar nunca chegará à felicidade que é a de existir. Pois a existência ocorre uma vez, e não devemos desperdiça-la. A situação em que te encontras não deve ser vista como a decadência total, a total falta de controlo. Não, acredita, que por tudo aquilo que já passas-te, a tua existência não foi em vão. Já tanto ensinas-te a tanta gente, de já tanta gente foste professor de coragem, bravura e determinação.

Urostomizado, não desistas..

O desistir apenas te mostrarà o quão negro é o dia e a eterna luminosidade da noite..

Mensagem por Urostomizado » quinta out 22, 2009 9:40 pm

Sinto-me cada vez mais a afundar. Estou vazio de sentimentos, vazio de sonhos, vazio de esperanças, vazio de objectivos. Sinto uma raiva enorme de tudo e de todos. Não tenho vontade para nada, não tenho vontade para trabalhar, não tenho vontade para conviver socialmente, não tenho vontade sequer para fazer uma simples compra. Tudo me parece tão inutil, tão desprovido de sentido. Tudo o que faço acaba sempre por dar errado, mesmo quando seria praticamente impossivel que tal acontecesse. Estou farto das pessoas à minha volta, estou farto de ver pessoas que têm oportunidade para fazer tudo e nada fazem, enquanto que eu gostaria de ter essa oportunidade e não a posso ter. Estou cansado. Cansado de me deitar todas as noites e pensar em tudo o que perdi, em tudo o que não posso ter nunca mais. Estou cansado de acordar todos os dias em sobressalto. Estou cansado de tentar viver neste mundo.

Mensagem por Urostomizado » quinta mai 15, 2008 8:03 pm

FerreiraNuno Escreveu:Olá Urostomizado

Li o seu post neste dia, já passou muito tempo desde que o colocou aqui e desde já espero que neste espaço de tempo esteja melhor.
Li duas vezes o seu 1 post para ter a certeza que percebia mesmo bem a sua história, se é que se lhe pode chamar história. Eu chamar-lhe-ia coragem.
Admiro muito o facto de ser forte e de querer superar novos desafios, novas barreiras e admiro o amor que sentia pela sua namorada e sente pelos seus pais, pois o desejo de ficar curado foi aquilo que o fez ter coragem para ser operado.
Acho que o seu exemplo deve ser seguido por muitos e são pessoas como o senho que nos fazem parar para pensar e agradecer aquilo que somos.
Tendo eu apenas 16 anos, acho que a coragem que alguém como o senhor teve para enfrentar a escola, os amigos, as novas experiencias foi algo de superior aquilo que realmente chamamos coragem...

Por isso deixo aqui os meus cumprimentos e votos de uma vida boa cheia de alegria e amor.

FerreiraNuno


Fico agradecido pelos votos e cumprimentos. Nos dias que correm, torna-se raro encontrar um jovem de 16 anos com uma postura tão correcta. Obrigado pelas palavras aqui depositadas.

Sete-Luas Escreveu:Já decorreram uns largos meses desde a sua primeira mensagem. E eu, tal como todos que aqui lhe escreveram, fiquei muito sensibilizada com o que nos escreveu, com o que quis partilhar connosco.

Disse que não tinha mais forças para continuar, mas a nós deu-nos uma grande lição: continua de cabeça erguida!

Enfim, depois deste tempo, queria perguntar-lhe como está..


Bem, o tempo passa cada vez mais rápido...

Continuo à espera da cirurgia de correcção, imagino que sendo o meu caso não tão urgente para o hospital como é para mim, estarei decerto no fundo da lista de espera...

Entretanto, regressei ao trabalho, não podia nem aguentava mais continuar em stand-by à espera de uma operação que tarda em se realizar. E este regressar ao trabalho acaobu por ser uma boa experiência, pois permite-te esquecer por algumas horas todos os problemas que presentemente tenho e tudo o que aconteceu nos ultimos tempos. Enquanto estou no local de trabalho, estou noutro mundo.

É claro que fora das horas de trabalho, há que voltar a enfrentar tudo o que guardo dentro de mim...

Parece incrivel, mas sinto-me mais deficiente agora do que antes quando era incontinente e usava fraldas descartáveis. Não sei se tal se deve ao facto de continuar, de outra forma, incontinente, embora agora tenha uma "bolsa", não sei se tal se deverá ao facto de ainda pouco tempo ter passado desde que entrei nesta nova fase da minha deficiência... o certo é que sinto-me mais deficiente, sinto-me mais diferente das outras pessoas do que antes...

Algo que também tenho notado nos ultimos tempos: dificuldade em permanecer em locais com muitas pessoas... seja num café, seja num jardim, na praia... começo a olhar ao redor, começo a ver outras pessoas, casais de namorados, amigos, todos a falarem uns com os outros, a socializarem, a contarem histórias, aventuras... e eu começo por me sentir mal comigo mesmo, por não poder viver tudo aquilo que vejo à minha volta... penso imediatamente em sair de tal local, em refugiar-me na minha solidão...

Pelo menos, tenho o trabalho e esse outro mundo no qual me sinto... normal.

Mensagem por FerreiraNuno » quinta mai 08, 2008 1:47 am

Olá Urostomizado

Li o seu post neste dia, já passou muito tempo desde que o colocou aqui e desde já espero que neste espaço de tempo esteja melhor.
Li duas vezes o seu 1 post para ter a certeza que percebia mesmo bem a sua história, se é que se lhe pode chamar história. Eu chamar-lhe-ia coragem.
Admiro muito o facto de ser forte e de querer superar novos desafios, novas barreiras e admiro o amor que sentia pela sua namorada e sente pelos seus pais, pois o desejo de ficar curado foi aquilo que o fez ter coragem para ser operado.
Acho que o seu exemplo deve ser seguido por muitos e são pessoas como o senho que nos fazem parar para pensar e agradecer aquilo que somos.
Tendo eu apenas 16 anos, acho que a coragem que alguém como o senhor teve para enfrentar a escola, os amigos, as novas experiencias foi algo de superior aquilo que realmente chamamos coragem...

Por isso deixo aqui os meus cumprimentos e votos de uma vida boa cheia de alegria e amor.

FerreiraNuno

Mensagem por Sete-Luas » sexta mai 02, 2008 11:24 pm

Já decorreram uns largos meses desde a sua primeira mensagem. E eu, tal como todos que aqui lhe escreveram, fiquei muito sensibilizada com o que nos escreveu, com o que quis partilhar connosco.

Disse que não tinha mais forças para continuar, mas a nós deu-nos uma grande lição: continua de cabeça erguida!

Enfim, depois deste tempo, queria perguntar-lhe como está..

Mensagem por Urostomizado » segunda jan 14, 2008 2:17 pm

Lilianax Escreveu:Olá Urostomizado

Esta mensagem tocou-me de especial, não só pela revolta que nos dá ao ler esta história, mas também porque esta descrição tão pormenorizada me fez reviver e relembrar as várias operações que infelizmente já fui sujeita.
De facto a vida consegue ser muito injusta, mas temos que conseguir ver as coisas boas que a vida vai tendo. Aconselho-o a recorer a ajuda de psicologos porque de certeza que vai melhorar!

Fica então os meus votos de rápidas melhores a ânimo!


Muito obrigado, quer pelas palavras, quer pelos votos.

Mensagem por Lilianax » domingo jan 13, 2008 11:16 pm

Olá Urostomizado

Esta mensagem tocou-me de especial, não só pela revolta que nos dá ao ler esta história, mas também porque esta descrição tão pormenorizada me fez reviver e relembrar as várias operações que infelizmente já fui sujeita.
De facto a vida consegue ser muito injusta, mas temos que conseguir ver as coisas boas que a vida vai tendo. Aconselho-o a recorer a ajuda de psicologos porque de certeza que vai melhorar!

Fica então os meus votos de rápidas melhores a ânimo!

Mensagem por NunoF » quarta dez 05, 2007 4:30 am

Urostomizado vou lhe ser muito directo. Li com muita atenção o seu post e fiquei sensibilizado, estupfacto e revoltante com o que lhe aconteceu após o seu nascimento.

Viva o presente...pense no futuro sempre com um sorriso nos lábios.

E que seja feliz, todos nós merecemos viver com harmonia e felicidade.

O sofrimento faz parte do ser humano, mas basta para quem já sofreu muito.

Boa sorte e que seja muito feliz consigo mesmo.

Mensagem por anasofia » terça dez 04, 2007 1:34 pm

Olá,
Vê como, afinal, há pessoas compreensivas? :)
esperro que corra tudo bem!
:)

Mensagem por Ana Rita » terça dez 04, 2007 12:57 am

Urostumizado,

Tendo em conta tudo o que nos contou, este seu último post é mais um exemplo da incrível capacidade que tem para se focar nos aspectos positivos da sua vida. Ainda que as complicações de saúde e não só se possam manter no presente, não se entrega ao que não tem ou não teve e valoriza o que de bom sabe receber. Obrigada pelo seu testemunho!

Ola

Mensagem por Liliana Costa » terça dez 04, 2007 12:35 am

:P Ainda bem que se abriram novos horizontes para ti e que esses sirvam para abrir ainda mais caminhos novos onde possas ser feliz. Fica bem.

Mensagem por Urostomizado » segunda dez 03, 2007 10:39 pm

Agradeço a todos que me escreveram. Simples palavras podem mudar muita coisa e nestes ultimos momentos, todas as palavras são para mim preciosas.

Tenho passado por muito nas ultimas semanas. Acho que estou finalmente a recuperar as forças que havia perdido e, principalmente, a recuperar a esperança. E tudo graças a um pequeno grupo de pessoas que conheci recentemente e que me fizeram ver que, afinal, ainda vale a pena sonhar e lutar.

Como havia dito antes, tenho uma dificuldade imensa em socializar com pessoas desconhecidas, precisando antes de as estudar a fundo para saber como lidar com tais pessoas. Mas nas ultimas semanas, uma grande amiga minha tem-me ajudado nesse sentido, empurrando-me literalmente para junto das pessoas, obrigando-me a socializar. Esta minha amiga não tem conhecimento da minha deficiência, mas por já termos uma amizade com quase 10 anos, conhece-me em parte e sabe dos meus problemas a nivel psicológico. Tendo ela também os seus próprios problemas e os seus próprios receios, eis que acabamos por nos apoiar mutuamente e assim dar força um ao outro. E é isso que tem acontecido.

Eu encontro no apoio que lhe dou um objectivo e ela retribui ensinando-me a socializar com pessoas completamente desconhecidas. E assim descobri um pequeno grupo de pessoas com quem tenho passado as noites num agradável e ameno café a conversar e que me faz pensar que, afinal, nem tudo é mau. E o mais importante foi que consegui confiar a fundo numa dessas pessoas ao ponto de desabafar e revelar o meu problema. Como o consegui fazer não sei, só sei que depois de muito conversarmos pela noite dentro, algo me fez ver que podia confiar em tal pessoa e naquele momento, a vozinha que me massacra constantemente a consciência, que está sempre a avisar-me sobre o que não posso falar, sobre o que não posso revelar, sobre o que tenho de mentir e esconder, essa vozinha calou-se, dando-me um sinal de que podia ser verdadeiro, sincero... e assim o fiz. Desabafei, deitei tudo o que tinha dentro de mim cá para fora e acabei por descobrir que, afinal, ainda há pessoas nas quais posso confiar sem receios, ainda há pessoas que compreendem o meu problema e que me aceitam tal qual como sou.

A conversa prolongou-se pela noite dentro, despedimo-nos perto das 6 horas da madrugada, mas senti-me tão bem, tão aliviado como até então não me havia sentido.

A pouco e pouco, sinto que a minha esperança é renovada sempre que estou com tais pessoas, com estes novos amigos e amigas que conheci por intermédio da minha grande amiga.

Já não me sentia tão feliz desde há muito tempo.

Uma vez mais, agradeço-vos imenso por todas as palavras aqui escritas e pelo tempo que dispenderam a ler as minhas. Muito obrigado.

Mensagem por Joana Patricia Santos » segunda dez 03, 2007 8:48 pm

Bem...fiquei muito sensibilizada com o seu discurso, e não poderia deixar de enviar todo o meu apoio e carinho...Só desejo que a situação se altere para melhor, sinceramente, desejo-lhe as maiores felicidades em todas as áreas da vida nomeadamente em termos de saúde. Se pudermos ajudar de alguma forma vá frequentando este fórum para comunicar com diferentes pessoas.
Desejos de saúde neste Natal!

Mensagem por anasofia » sexta nov 23, 2007 10:11 pm

Olá Urostomizado,
Antes de mais parabéns pela força que tem tido ao longo de toda a sua vida.
Li o seu texto e fiquei bastante sensibilzada com toda a situação. É triste saber que estas coisas acontecem.
Só lhe quero dizer que existe sempre uma esperança, por mais pequena que esta possa ser... A vida ás vezes pode ser mesmo muito cruel mas temos que acreditar que conseguimos dar a volta, temos que acreditar que depois da tempestade existe sempre uma sorridente bonança esperando por nós.
O suicidio nunca é o caminho.
Quanto ao amor, estou certa de que se alguém gostar de si a sério irá aceitá-lo assim como é. Tenha fé nisso.
Compreendo o seu desespero. Neste momento não sabe onde se apoiar. Mas por favor não faça desse seu problema toda a sua vida. Se se sente bem na Internet, então aproveite esse seu gosto e faça algo produtivo para si. Tente descobrir novas actividades que o fascinem...

Cumprimentos

Mensagem por Urostomizado » sexta nov 23, 2007 2:24 am

Skydin, muito obrigado.

Mensagem por Skydin » sexta nov 23, 2007 12:42 am

Ao ler o seu desabafo, fiquei muito sensibilizada. Mais ainda do que com tudo o que tem vindo a sofrer ao longo da vida, o que é inquantificável, com o modo como lida com essas mesmas vicissitudes! As complicações de saúde, as incompetências médicas e administrativas e as desesperanças com que se foi deparando têm vindo a ser provas de fogo... No entanto, tenho de lhe dar os mais sinceros parabéns pelo modo como tem vindo a encarar estas abismais situações que apenas consigo imaginar que sejam emocionalmente arrasadoras.

Compreendo que o término da relação amorosa tenha sido no pior momento e que a dificuldade em concretizar amizades também esteja presente, mas pelo discurso que li, parece-me que para si não é difícil realizar novas relações. À primeira “leitura”, deu-me a ideia de ser uma pessoa que, mesmo considerando que tem de avaliar os outros, de construir bons relacionamentos já que, com todas as dificuldades que lhe foram sendo inerentes, não abdicou (e muito bem!!!) da sua vida social! Uma rede social de apoio é essencial, não precisamos de estar em contacto constante com essas pessoas mas sabermos que estão lá para nós já é muito importante. Parece-me também que os seus pais sempre desempenharam um papel fulcral na sua vida e isso é uma peça chave para uma boa base de apoio. Resta apenas querer e estar preparado para a aumentar. Claro que surgem adaptações devido à sua situação actual, quem deve avaliar se vale a pena é sempre a própria pessoa. Penso que deverá pensar nisso. Quem sabe se não estará a fechar uma janela por não querer investir na área social da sua vida, se faço passar a metáfora?

Acho absolutamente admirável o modo como hoje em dia, ainda, mesmo estando desanimado, encara toda a sua situação. Repare no que escreveu quando disse que, se pudesse escolher optava por voltar atrás. Na altura, se lhe perguntassem, concerteza não desejaria estar como estava. Ou seja, temos, por vezes, temos de nos distanciar. De tentar avaliar o que temos de positivo e o que está bem, sem que para isso deixemos de o ter. Acredito que, mesmo nos dias mais angustiantes, se pensar bem, conseguirá encontrar interesses na sua vida que o motivem. Aconselho-o a fazê-lo. Por um motivo muito simples mas válido. Disse que duvidou da operação porque não a fez por si. Então agora, talvez fosse bom poder escolher por si, e não por outra pessoa que não existe, no momento. Para que quando existir, possa dizer-lhe porque é que é que, mesmo tendo passado por todas as dificuldades de saúde que passou e passa, é uma pessoa tão especial. Porque aí estará a cumprir as suas motivações e objectivos.

Espero ter sido útil...

Sinceramente, desejo-lhe todo o bem, merece!

Continue a lutar por si!


Skydin

Mensagem por Clarissa » segunda nov 19, 2007 11:51 am

São de pessoas como você que a sociedade está carenciada, se todos lutassem pelos seus direitos como você luta, com certeza absoluta que teriamos uma sociedade mais justa e menos egoísta e preconceituosa.

Você, para além de não desistir de lutar, mostra a todas essas pessoas o que vale e acaba sendo respeitado por isso (como no caso do 1º emprego e a situação da comparticipação).

É verdade que para algumas pessoas as coisas não acontecem com facilidade, mas a satisfação de conseguir aquilo para o qual lutamos é muito maior quando sabemos que não só recebemos por receber, mas poque fizemos por onde o conseguir.

Nunca desista dos seus objectivos e sonhos, porque você tem todas as ferramentas para conseguir ultrapasar todos os obstáculos que surgirem.

Cumprimentos,

Mensagem por Liliana Costa » domingo nov 18, 2007 9:18 pm

Ainda bem que pelo menos a comparticipação foi dada mas de facto, se não fosse a persistência e coragem que tem poderia ficar lesado....como muitas pessoas ficam, principalmente aquelas que têm menos recursos à disposição, menos conhecimentos...resta-lhes conformarem-se com tamanha rigidez do sistema....Enfim...

Topo