Pedido de esclarecimentos

A regulação e regulamentação da formação e do exercício da psicologia em Portugal. A acreditação e certificação. A organização da classe profissional. Os direitos e deveres laborais. As organizações representativas. A identidade e a imagem dos Psicólogos.

Moderador: Cristina

Liliana Pereira
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 3
Registado: domingo mar 07, 2010 3:41 pm

Pedido de esclarecimentos

Mensagempor Liliana Pereira » quinta jul 15, 2010 2:29 pm

Boa tarde a todos. Sou animadora sociocultural e estou neste momento a terminar a minha tese de mestrado onde estou a abordar a depressão no idoso institucionalizado.

Passei e por cá para ver se conseguia alguma coisa nos vossos documentos e artigos publicados, mas daquilo que procuro não encontrei nada.

Gostaria de vos pedir algumas dicas de sites, livros, documentos ou artigos que abordem os tipos de depressão na 3ª idade. Estou quase a desesperar porque não encontro nada e como tal, nada melhor do que pedir ajuda a quem percebe realmente destes temas.

Agradeço desde já a vossa colaboração.

Cumprimentos a todos,

Liliana Pereira
Zimbardo
Membro Habitual**
Membro Habitual**
Mensagens: 196
Registado: sexta nov 14, 2008 12:00 am

Mensagempor Zimbardo » quinta jul 15, 2010 7:10 pm

O melhor é enviares uma PM ao utilizador "psirui", que ele é que percebe destas coisas e gosta de ajudar os outros...
psygirl
Membro Habitual*
Membro Habitual*
Mensagens: 125
Registado: segunda out 25, 2004 11:03 pm

Mensagempor psygirl » sexta jul 16, 2010 6:07 pm

Zimbardo Escreveu:O melhor é enviares uma PM ao utilizador "psirui", que ele é que percebe destas coisas e gosta de ajudar os outros...


LOL

Quem já anda aqui há algum tempo já está a prever o desfecho...
joao miranda
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 14
Registado: terça fev 20, 2007 6:44 pm

Mensagempor joao miranda » sexta jul 16, 2010 10:05 pm

Simples, estude os tipos de animação que poderá fazer com os idosos e não queira fazer de psicóloga. Infelizmente já passei pela triste experiência de trabalhar com animadores socioculturais que são incompetentes no trabalho que desenvolvem e ainda se arrogam "perceber de psicologia" apenas porque fizeram 2 cadeiras de psicologia. Quem diz estes, diz enfermeiros, ou assistentes sociais. Desenvolvam o vosso trabalho de forma genuina e não queiram o peso de pertencer a uma classe que todos pensam "perceber muito" quando não passam de ignorantes, tal como eu sou na área das animações.
Liliana Pereira
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 3
Registado: domingo mar 07, 2010 3:41 pm

Mensagempor Liliana Pereira » sexta jul 16, 2010 10:31 pm

joao miranda Escreveu:Simples, estude os tipos de animação que poderá fazer com os idosos e não queira fazer de psicóloga. Infelizmente já passei pela triste experiência de trabalhar com animadores socioculturais que são incompetentes no trabalho que desenvolvem e ainda se arrogam "perceber de psicologia" apenas porque fizeram 2 cadeiras de psicologia. Quem diz estes, diz enfermeiros, ou assistentes sociais. Desenvolvam o vosso trabalho de forma genuina e não queiram o peso de pertencer a uma classe que todos pensam "perceber muito" quando não passam de ignorantes, tal como eu sou na área das animações.


Meu caro não quero fazer de psicóloga nem roubar o trabalho a ngm, mas é mt triste da sua parte dar essa resposta. Não sei que tipo de psicólogo será o senhor quando nem sequer é capaz de aceitar um pedido de ajuda. Lamentável!
Adoc.eu
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 18
Registado: sábado jul 17, 2010 5:05 pm

Mensagempor Adoc.eu » sábado jul 17, 2010 5:32 pm

Então e a quantidade enorme de psicólogos que anda a fazer tudo menos psicologia? Conheço vários exemplos de psicólogos a atribuírem subsídios sociais em câmaras municipais e noutras instituições. Não vejo esses rejeitarem esses trabalhos, nem queixarem-se de andarem a fazer trabalho que deveria pertencer a outros profissionais. Por isso não me admiro que outros profissionais também andem a fazer psicologia. Não podemos ser parciais nas críticas...
joao miranda
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 14
Registado: terça fev 20, 2007 6:44 pm

Mensagempor joao miranda » sábado jul 17, 2010 6:20 pm

Cara Liliana, sou o "tipo de psicólogo" que considera as vossas incursões invasivas e perigosas para os profissionais de psicologia e para os utentes. Como já disse anteriormente, falo daquilo que conheço, porque já tive a minha quota de dissabores por defender a minha área das incursões desmedidas de outros profissionais que pensam, tal como você, que o bom psicólogo é aquele que diz sim a tudo. Quanto a negar ajuda...desculpe mas é impossível ajuda-la, é que a depressão na terceira idade é um tema muito complexo para ser abordado de forma leviana, do tipo, criemos aqui umas caixinhas para a colega compartimentar as pessoas, dividindo-as em "tipos de depressão". Faz-lhe sentido? A mim não, devo ser mau psicólogo.

Ao adoc apenas posso responder que pelo facto de haver psicólogos a fazer o que descreve não constitui entrave, seja ele de ordem ético-deontológica, legal, ou moral á minha visão crítica da situação visto não compactuar com as mesmas. Por outro lado revela que, segundo a teoria do desenvolvimento moral de Kohlberg, você encontra-se no nível 2, de 6 possíveis, da moralidade pré-convencional, ou seja, seguir as regras apenas quando se trata do interesse imediato de alguém - agir de forma a satisfazer os próprios interesses ou necessidades e deixar os outros fazerem o mesmo.
Não espere por isso que eu vá descer o meu nível!
Zimbardo
Membro Habitual**
Membro Habitual**
Mensagens: 196
Registado: sexta nov 14, 2008 12:00 am

Mensagempor Zimbardo » sábado jul 17, 2010 6:46 pm

O fantástico no meio disto tudo é que se fala em depressão e automaticamente exclui-se qualquer outra profissão que não seja psicólogo. Ninguém quis saber para que é que a Liliana precisa de saber esta informação. Ninguém quis saber que mestrado ela está a fazer (até podia ser em Psicologia).

Vamos supor que um artista de circo é convidado a fazer um espectáculo num lar de idosos e quer adequar o seu espectáculo em função da audiência e, por isso, solicita informações sobre os tipos de depressão. Onde é que está o mal?

Ao colega João Miranda, eu sou o tipo de psicólogo que não gosta de tirar conclusões precipitadas com base em algumas dezenas de caracteres. Mas isto sou eu, que devo ser mau psicólogo.
Liliana Pereira
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 3
Registado: domingo mar 07, 2010 3:41 pm

Mensagempor Liliana Pereira » sábado jul 17, 2010 10:19 pm

Não quero mais guerras nem picardias e por isso vou-me ficar por aqui neste fórum. No entanto, e para que não hajam dúvidas, o tema da minha tese é "Solidão e Depressão no Idoso Institucionalizado: A intervenção da Animação Sociocultural". O meu objectivo principal é perceber em que medida a animação sociocultural pode intervir de forma a ajudar os idosos nessas condições. Apenas precisava dessa informação para a fundamentação teórica da minha tese nada mais. Aquilo que me interessa realmente é a animação sociocultural. Se eu quisesse ser psicóloga ou se achasse que tinha vocação para isso, tinha ido para psicologia.

João Miranda, cada um tem as experiências que tem mas não meta toda a gente no mesmo saco. Eu sei muito bem que há muitos animadores e não animadores que andam aí a fazer a animação sem saber muito bem o que fazem. Sei que muitos animadores fazem a animação junto dos idosos infantilizando-os. Para muita gente animação é cantar, bailar e fazer florzinhas em papel. Para mim animação sociocultural está muito além disso, para mim é uma arte, uma terapia... É preciso estudá-la muito. Também trabalhei com um psicólogo que fazia tudo menos aquilo que lhe competia, no entanto, não entrei aqui a pensar que todos seriam assim. Em todo os lado há bons e maus profissionais.

Agradeço ao Zimbardo o bom senso.
Adoc.eu
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 18
Registado: sábado jul 17, 2010 5:05 pm

Mensagempor Adoc.eu » domingo jul 18, 2010 3:26 pm

João Miranda não acredito nem que seja um bom profissional, nem que seja uma pessoa feliz. Custa-me acreditar que alguém com a sua arrogância possa ser quer um bom profissional, quer uma pessoa feliz. Pode esconder-se nas teorias que quiser, também sei muitas, também estudei e continuo a estudar. Mas o seu mal e o de muitos psicólogos é serem "muita parra e pouca uva". Isto é, muita teoria e depois na prática é o que se vê. Escudam-se em teorias supostamente credíveis, mas esquecem-se que em Psicologia há pouca coisa exacta e universal. Mesmo em termos de diagnósticos, basta ver o reconhecimento que a OMS atribui a muitos deles. Enquanto a Psicologia não estiver realmente ao nível da população, enquanto os psicólogos não se imbuírem de maior pragmatismo e menos retórica, não terão a aceitação por parte da população que aspiram vir a ter. Portanto, pessoas como o senhor, João Miranda, têm sido parte do problema e não da solução. Espero que tenha aprendido com a lição de humildade e bom-senso que a Liliana Pereira e o Zimbardo lhe acabaram de dar.
joao miranda
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 14
Registado: terça fev 20, 2007 6:44 pm

Mensagempor joao miranda » domingo jul 18, 2010 6:52 pm

Cara Liliana, na depressão geriátrica, assim como na depressão em geral, não é correcto falar em tipos, existem algumas características que são diferentes neste grupo etário, da mesma forma que na depressão infantil, existem características que a diferenciam. Criar tipologias para a depressão não é mais do que construir barreiras imaginárias, às quais os pacientes não se adaptam, se pretende verdadeiramente fundamentar teoricamente a sua tese, na minha opinião está a ir pelo caminho errado.
Ao Zim qualquer coisa, note que estou identificado e não me escondo atrás de nomes. Quanto ao seu comentário apenas posso referir que mantenho a minha posição. Se o colega é capaz de dividir a depressão geriátrica em tipos, certamente deve possuir informação q ue desconheço, ou então está a fazer confusão com os tipos de outra coisa qualquer.
Ao Adoc apenas posso referir que você precisa crescer intelectualmente, desenvolva-se, procure ajuda, quem sabe um psicólogo…
Zimbardo
Membro Habitual**
Membro Habitual**
Mensagens: 196
Registado: sexta nov 14, 2008 12:00 am

Mensagempor Zimbardo » domingo jul 18, 2010 11:21 pm

"Zim qualquer coisa"? Não saber completar o meu nick é a prova que andaste completamente a dormir nas aulas de (pelo menos) uma cadeira do teu curso.

Se a depressão geriátrica se divide em tipos ou não, não interessa porque não foi esse o problema que levantaste. O problema foi ser uma animadora sócio-cultural a pedir informações. Fujas por onde fugires, não podes negar que tiraste uma conclusão precipitada com base em meia dúzia de caracteres, aproveitando esse facto para destilar ódio a profissões paralelas às ciências sociais e humanas. E se isto é errado para a maioria das pessoas, é especialmente lamentável para profissionais treinados para, precisamente, não fazer este tipo de julgamentos.

Concluindo, a resposta que, neste último post, deste à Liliana, era a que deverias ter dado logo de início. Pelo meio só tiraste dignidade à nossa profissão e, sobretudo, a ti mesmo.
Adoc.eu
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 18
Registado: sábado jul 17, 2010 5:05 pm

Mensagempor Adoc.eu » segunda jul 19, 2010 11:31 am

O João Miranda deve ser alguém com um alto nível de frustração. De facto, a forma como destila ódio face a outras profissões é um bom indicador disso, para além da forma como faz todo o tipo de juízo sobre quem não conhece, nem sequer pelo nome. Só pode ser um péssimo psicólogo e como pessoa também parece deixar muito a desejar. Mude de profissão que a Psicologia certamente o agradecerá.
psicologiamarina
Membro Regular
Membro Regular
Mensagens: 85
Registado: sexta jun 13, 2008 6:36 pm

Mensagempor psicologiamarina » quinta jul 22, 2010 1:16 pm

Bem tenham lá calma!

Se não querem esclarecer a colega, quem não se sente capaz..não complique!!Basta não responder...

Eu sou psicóloga ha alguns anos e ja trabalhei directamente com varios animadores e sempre cooperamos bem!!Aliás, eu gostava que houvessem mais..porque são mesmo necessarios!!!

E...


Convem que os animadores (ou outro profissional...) saibam quais as melhores actividades a aplicar à população que têm pela frente, PORTANTO, obviamente têm que conhecer as suas problemáticas...neste caso acho muito bem que saibam as caracteristicas de uma depressão..

A função de todos é ajudar as pessoas a melhorarem a sua qualidade de vida!E isso só resulta, e falo por experienca profissional, atraves de um trabalho de equipa!!Equipas multidisciplinares!!Cada um no seu ramo mas a trabalhar o mesmo problema!!

Qual é o mal??


Até achei bastante positivo este pedido, podia apenas ter pesquisado na net e colado uns textos, mas não, veio aqui ao forum dos PSICOLOGOS que conhecem estas áreas e pediu colaboração, para não haver falhas de informação!!!!

Enfim...

Voltar para “Regulamentação, Exercício e Identidade Profissional”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 7 visitantes