AJUDA

As diferentes correntes e modelos teóricos. Novas abordagens e novos contextos de intervenção. A teoria e a prática, os conceitos e as estratégias. Preocupações éticas e deontológicas. etc.

Moderador: César

silver
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 202
Registado: quinta mai 15, 2008 3:19 pm

AJUDA

Mensagempor silver » quarta jun 04, 2008 9:35 am

Informalmente foi-me perguntado se poderia fazer algum tipo de declaração/relatório a atestar (caso o considera-se) que um individuo do sexo femenino está com uma determinada perturbação (ainda não foi avaliado para saber se está e qual) em resultado de ter tido uma má experiencia na universidade, por ter entrado num curso que não pretendia e ter sido sujeita a uma serie de acontecimentos alegadamente perturbadores. Esta declaração serviria para entregar na Universidade com o intuito de justificar a troca de curso.

Que lhes parece?
Marília
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 48
Registado: domingo jul 09, 2006 10:08 am

Mensagempor Marília » quarta jun 04, 2008 10:35 am

Na minha opinião é muito difícil estabelecer relações causais dessa natureza, sobretudo quando temos consciência que geralmente há uma variedade de factores que contribuem para determinada situação.
silver
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 202
Registado: quinta mai 15, 2008 3:19 pm

Mensagempor silver » quarta jun 04, 2008 12:24 pm

Mas mesmo admitindo que essa situação da Universidade seria um factor desencadeador pela perturbação/problemática, existe algum tipo de declaração/relatório que se possa entregar ao paciente para usar na Universidade.
Cristina Silva
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 800
Registado: quinta out 25, 2007 9:52 am

Mensagempor Cristina Silva » quarta jun 04, 2008 4:40 pm

Eu teria muito cuidado com esse tipo de pedido, porque me parece estranho que uma Faculdade peça uma declaração ao nível da saúde mental de uma pessoa, com o objectivo da mudança de curso.

Se a pessoa quer acusar a Faculdade de alguma coisa, deve recorrer a um advogado. Se quer mudar de curso, deve fazê-lo por vontade própria, penso que não há inibições para tal a não ser que a pessoa queira recorrer de tudo o que possa facilitar essa transição, obtendo benefícios que lhe interessem.

Se lhe pedirem uma avaliação psicológica da pessoa, peça esse pedido por escrito e direccione o relatório conforme a pessoa ou instituição que lha pedir, tendo sempre o cuidado de se cingir apenas ao que diz respeito à nossa intervenção.

Eu, cingir-me-ia a uma avaliação com relatório e nunca a uma declaração a atestar que uma determinada perturbação foi por causa disto ou daquilo. Penso que em termos de declarações a atestar a não sanidade mental de uma pessoa, deve ser remetida a um psiquiatra.

Veja bem o que está por trás desse pedido!

Só me lembro de ter tido um caso há muito tempo, de uma pessoa que queria uma declaração para poder ter benefícios em termos de um seguro qualquer, devido a um acidente que teve de mota (queria que eu declarasse uma depressão em consequência do acidente).
Disse-lhe que teria de receber um pedido por escrito da entidade que pretendia o relatório e que a partir daí podia fazer uma avaliação psicológica com relatório em função do pedido, não uma declaração, e indiquei-lhe o valor desse trabalho.

Desmontando a conversa, ficou claro que a pessoa queria era manipular-me para lhe fazer esse jeito para seu interesse.

Nunca mais disse nada!

Cristina Silva

Voltar para “Campos de Acção, Modelos e Exercício”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes