letras iguais

As diferentes correntes e modelos teóricos. Novas abordagens e novos contextos de intervenção. A teoria e a prática, os conceitos e as estratégias. Preocupações éticas e deontológicas. etc.

Moderador: César

eli
Membro Amador
Membro Amador
Mensagens: 40
Registado: quarta abr 18, 2007 2:45 pm

letras iguais

Mensagempor eli » segunda out 13, 2008 11:27 am

Desculpem se não é o tópico correcto mas não sabia onde havia de colocar a questão.
tem significado patológico um rapaz de 12 anos ter a letra exactamente igual à da mãe, muito "feminina"?
Obrigado
Claudio V
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 217
Registado: sábado jul 05, 2008 12:02 am
Localização: Leiria / Coimbra
Contacto:

Mensagempor Claudio V » segunda out 13, 2008 6:17 pm

Seja qual for a grafia das pessoas, não se encontra relação de causalidade com qualquer patologia.
Eu próprio apresento a "estereotipada" grafia "feminina" (apesar de ser diferente da da minha mãe) e sou um individuo normal (digo eu...).
:wink:
"Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais. Somos também o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos. Somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos, sem querer." Sigmund Freud
miosotis
Membro Habitual**
Membro Habitual**
Mensagens: 211
Registado: segunda mai 03, 2004 7:35 pm

Mensagempor miosotis » segunda out 13, 2008 11:35 pm

LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL !!!



Claro, deve ser gay o rapaz.

Se tivesse letra de macho, já seria hetero...

PS: estou a brincar!
mariapsi
Membro Habitual*
Membro Habitual*
Mensagens: 141
Registado: quinta abr 03, 2008 12:48 pm

Mensagempor mariapsi » terça out 14, 2008 2:06 pm

Pode ter que ver com processos identitários mas daí a uma relação patológica é forçar demasiado...!
Por exemplo, é bastante frequente em alunos do 2º ciclo, sobretudo entre as meninas) usarem aquela grafia muito redonda e vertical (é isto o que pretende traduzir por "feminina") que se deve a uma fase de identificação com as colegas, novos padrões, etc.
rodrigocp
Membro Habitual*
Membro Habitual*
Mensagens: 133
Registado: segunda abr 14, 2008 9:46 pm

Mensagempor rodrigocp » quarta out 15, 2008 11:17 pm

Eu trabalhei com uma criança que começou a imitar a forma como eu escrevia, porque desejava identificar-se e estabelecer uma relação mais forte comigo.

Isso é muito comum e está relacionado com o processo de construção da identidade e com a procura de um estilo pessoal. O mesmo acontece com a assinatura...

As crianças podem imitar a letra da mãe, do pai, de um colega ou de qualquer outra pessoa que seja significativa na sua vida.
alexlobo
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 58
Registado: quarta dez 20, 2006 9:06 pm

Mensagempor alexlobo » domingo out 19, 2008 12:39 am

Por curiosidade gostaria de saber qual a "patologia" a que a grafia redonda e "feminina" poderia estar associada? É que por muito que eu pense não consigo estabelecer nenhum nexo causal, ou será que se estão a referir à homossexualidade como uma patologia?
mariapsi
Membro Habitual*
Membro Habitual*
Mensagens: 141
Registado: quinta abr 03, 2008 12:48 pm

Mensagempor mariapsi » domingo out 19, 2008 5:17 pm

As opiniões aqui expressas não a associam a nada. Antes pelo contrário, até incidem na não causalidade entre elas. Ora releia lá... :roll:
alexlobo
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 58
Registado: quarta dez 20, 2006 9:06 pm

Mensagempor alexlobo » domingo out 19, 2008 11:07 pm

Escrevi em termos genéricos sem querer incidir sobre qualquer opinião expressa mas quando vejo várias vezes as palavras "relação patológica" sem que nenhum "Psicólogo" sinta a necessidade de clarificar que a homossexualidade só constituí uma perturbação quando interfere no funcionamento do sujeito e não por norma ser uma perturbação patológica, acho curioso!
Claudio V
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 217
Registado: sábado jul 05, 2008 12:02 am
Localização: Leiria / Coimbra
Contacto:

Mensagempor Claudio V » domingo out 19, 2008 11:19 pm

alexlobo aqui ninguem falou em homossexualidade.
A questão é unicamente esta:

"tem significado patológico um rapaz de 12 anos ter a letra exactamente igual à da mãe, muito "feminina"? "
"Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais. Somos também o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos. Somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos, sem querer." Sigmund Freud
alexlobo
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 58
Registado: quarta dez 20, 2006 9:06 pm

Mensagempor alexlobo » domingo out 19, 2008 11:30 pm

Gay = homossexual, mas se calhar sou eu que estou a fazer constructos errados e volto a repetir que não incido sobre qualquer opinião exposta especificamente...
Em relação à questão, estudos demonstram não existir qualquer tipo de relação entre a grafia e a personalidade da pessoa não podendo/devendo este instrumento ser utilizado para análise científica.
Mas o melhor mesmo será perguntar à criança o porquê de ter uma letra tão redonda, assim a duvida fica esclarecida :wink:
eli
Membro Amador
Membro Amador
Mensagens: 40
Registado: quarta abr 18, 2007 2:45 pm

Mensagempor eli » segunda out 20, 2008 10:35 am

Quando coloquei a questão não estava a falar de homossexualidade nem por lá perto. Em termos gerais ele tem uma perturbação de ansiedade generalizada e uma relação de rejeição/aceitação com a mãe que tem ansiedade social e depressão. Belo caso não? Como não encontrei nada em bibliografia, era só para saber se poderia daí tirar alguma elacção importante.
mariapsi
Membro Habitual*
Membro Habitual*
Mensagens: 141
Registado: quinta abr 03, 2008 12:48 pm

Mensagempor mariapsi » segunda out 20, 2008 11:37 am

alexlobo Escreveu:Gay = homossexual, mas se calhar sou eu que estou a fazer constructos errados e volto a repetir que não incido sobre qualquer opinião exposta especificamente...
Em relação à questão, estudos demonstram não existir qualquer tipo de relação entre a grafia e a personalidade da pessoa não podendo/devendo este instrumento ser utilizado para análise científica.
Mas o melhor mesmo será perguntar à criança o porquê de ter uma letra tão redonda, assim a duvida fica esclarecida :wink:

Onde leu gay, leia também o post scriptum, o qual tomo a liberdade de o citar:
PS: estou a brincar!

Acho que não compreendeu o humor do/a miosotis... :roll:
alexlobo
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 58
Registado: quarta dez 20, 2006 9:06 pm

Mensagempor alexlobo » sábado out 25, 2008 8:56 pm

Colega mariapsi compreendi na perfeição o humor do/a colega miosotis aliás ainda consigo ler bastante bem e sem óculos (ainda), mas como este fórum não é só visitado por Psicólogos mas por outros profissionais e pela sociedade portuguesa em geral, acho importante clarificar ideias erróneas, ou desmistificar conceitos enquanto Psicólogo e assumindo a responsabilidade social que advém desta profissão. Como tal e perante a conversação (o facto de referir a palavra femino e um rapaz resulta numa associação como a/o colega miosotis fez) achei que seria benéfico clarificarmos as coisas para não se passarem ideias erróneas. Sejamos francos a primeira associação que alguém leigo no assunto irá fazer, será exactamente o exemplo que a/o colega miosotis expôs, mas tem todo o direito em discordar desta minha opinião e desta minha responsabilidade.

Já referentemente ao colega eli, caso a mãe não esteja a ser acompanhada deverá encaminha-la (não acompanhe ambos) e avalie a necessidade de intervenção psiquiátrica com esta senhora. Já o filho, poderá ser um registo de actuação identico ao da mãe. Isto é, se tem uma mãe que é ansiosa, se calhar do tipo neurose histérica, esta criança irá estar constantemente sobre um estado de tensão e de alerta permanente o que se poderá traduzir em ansiedade generalizada, provavelmente esta criança não conhece outro modo de funcionar.

Espero ter ajudado.

Voltar para “Campos de Acção, Modelos e Exercício”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes