Ajudar a esposa com depressão

Espaço dedicado ao público em geral: aqui poderá apresentar as suas questões e dúvidas, e contar com o apoio dos utilizadores deste fórum. IMPORTANTE: leia as Regras de Utilização antes de participar
Regras do Fórum
-----------
O Psicologia.pt não é responsável pelas intervenções dos vários participantes neste Fórum, sendo o teor desses conteúdos, bem como a utilização que se faça dos mesmos, da exclusiva e total responsabilidade de cada utilizador.
Com o objectivo de permitir o total anonimato, o fórum "Pergunte ao Psicólogo" é o único onde é possível a publicação de tópicos por utilizadores não registados.
Ao mesmo tempo, e como deve ser do entendimento de todos, o carácter "anónimo" dos fóruns faz com que este espaço não ofereça condições para interações que se desenvolvam para além da mera "troca de opiniões".
É expressamente proibida neste fórum a divulgação de serviços de psicologia bem como de quaisquer contactos de psicólogos (nomes, nºs de telefone, moradas e outros contactos).
O Psicologia.pt não se responsabiliza pelo rigor técnico e científico, idoneidade e respeito pelos princípios éticos e deontológicos de toda e qualquer participação.
javo
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 20
Registado: quinta ago 25, 2005 11:01 pm

Ajudar a esposa com depressão

Mensagempor javo » sábado jun 26, 2010 3:38 pm

A minha esposa manifesta sinais PREOCUPANTES de depressão... cada vez mais.

Ela foi (quase forçada) ao psiquiatra, que diagnosticou distimia (depressão CRONICA), passou antidepressivos e recomendou psicoterapia.

Ela tem tomado a medicação (mais uma vez, porque eu insisto, senão "esquece-se"). Houve um tempo que as coisas acalmaram.

Mais dificil é psicoterapia... porque ela "não quer falar da sua vida aos outros". Ainda assim, eu marquei com uma psicóloga e levei-a lá.

Ela voltou desanimada: "Falar por falar não resolve nada". Recusou-se a ir à segunda sessão.

Ultimamente as coisas têm "descambado" completamente. Ela diz ser uma pessoa horrivel, quer morrer! Olha-se ao espelho e diz para si própria: "Estupida... Toda a gente morre, menos tu!"
É agressiva consigo, e comigo (que lhe quero todo o bem). Odeia tudo e todos. Grita muito!

Ela está a tomar medicação há 6 meses... e eu acho que já não está a fazer efeito NENHUM!

Pelos sintomas, acho que ela tem uma coisa chamada "personalidade depressiva" - ela própria admite isso, e diz que sempre foi assim.

Eu estou desesperado... Sinceramente não sei o que fazer mais! Ando nervoso, sem dormir, com problemas de estomago... É ESGOTANTE!
Quem é que NOS pode ajudar? Ninguém?

O que se passa é suficiente para levá-la às urgencias, ainda que contra a vontade dela?
Eu sou da margem sul... e se eu precisar de levá-la às urgencias, posso ligar para o 112?
- "A minha esposa está a falar em querer morrer!"
- "Mas tentou alguma coisa?"
- "Não... ainda não."
É urgencia?!

=(
aniger
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 769
Registado: quinta mar 01, 2007 12:23 am

Mensagempor aniger » sábado jun 26, 2010 11:55 pm

Boas

Compreendo a sua angústia e sofrimento, a sua esposa foi medicada por um psiquiatra no hospital ? como medida de Sos?ou No particular?


Não sei se tem psicóloga no seu centro de saúde, porém devia falar com o seu médico de família, porque ele poderá fazer referência da sua esposa para o Hgo (psiquiatria) (isto se pertencer a Almada), pelo menos para lhe marcar uma consulta lá e eles averiguarem melhor o que se passa.


Posso lhe dizer (porque estou a estagiar num centro de saúde da margem sul) que é complicado o acesso à psiquiatria, pois existem inúmeros critérios para aceitar pacientes, porém pelo que descreve penso que devem aceitar..Mas mais uma vez é mais fácil se pedir ao seu médico de família para fazer o encaminhamento, eles fazem isso na hora pelo pc, depois tem é lista de espera (porque infelizmente não existem técnicos suficientes para os utentes).


Em situação de urgência pode sim dirigir-se ao Hgo, não ligue ao 112 , mas pode ir directamente com a sua esposa as urgências de psiquiatria e explicar a situação, referindo que se trata de uma urgência , que a sua mulher está com ideacções suicidas.
Imagem
Ψ Mestrado em Psicologia Clínica
javo
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 20
Registado: quinta ago 25, 2005 11:01 pm

Mensagempor javo » domingo jun 27, 2010 2:55 pm

Olá aniger,

Obrigado pela sua resposta.

A minha esposa não tem médico de familia. Mas tem um seguro de saúde que cobre despesas de psiquiatria (psicologia excluída).

Assim, nós recorremos ao seviço de psiquiatria de um hospital particular em Lisboa. Foi aí que foi feito o diagnóstico e a prescrição de medicamentos.

Depois de uma fase de aparente melhoria, a minha esposa está a atravessar uma crise evidente. Grande mesmo. Às vezes, o olhar fica estranho e ela fala coisas horriveis:
"Não gosto de ti"; "Vou-me despedir do trabalho"; "Quero mudar de vida"; "Deixem-me em paz, não quero falar com ninguém" (isola-se); "preciso de beber"
Será que, em meio a estas crises, isso pode ser verdade? Ou é a "doença" a falar? Existe o perigo da medicação ter parado de funcionar?

"Hgo" é o quê? Que hospitais têm serviço de urgência 24h em psiquiatria, na zona da Margem Sul ou Lisboa?
Não existe nenhuma linha de urgências que possa ser usada nestes casos?

Como parece que "falar só por falar, não resolve nada"... Ou pelo menos ela não gosta dessa abordagem... Marquei uma consulta com um outro psicólogo para uma abordagem Cognitivo-Comportamental.
Vamos ver, vamos ver...
Estas coisas são muito complicadas.
aniger
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 769
Registado: quinta mar 01, 2007 12:23 am

Mensagempor aniger » domingo jun 27, 2010 3:37 pm

Hgo- Hospital Garcia de Orta (funciona durante a semana as urgências), em Lisboa tem urgências de psiquiatria no santa Maria (incluindo aos fins de semana) .


Linha de urgência não conheço nenhuma.

Mas se tem possibilidades para estar no privado, insista nas consultas e tente ver à sua esposa que sem elas é que não vai melhorar . Se ela está a ser medicada , também tem de ver se está a fazer a medicação correcta, ou seja se toma tudo tal como foi prescrito , ou se pelo contrário salta a medicamentação, é que às vezes os medicamentos também causam mudanças no comportamento da pessoa. Por isso tem de continuar as consultas, ver se a medicação é a adequada e se a sua esposa a faz correctamente.
Imagem
Ψ Mestrado em Psicologia Clínica
javo
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 20
Registado: quinta ago 25, 2005 11:01 pm

Mensagempor javo » segunda jun 28, 2010 1:59 pm

Muito obrigado aniger,

Vou tomar nota de todos esse contactos!

Agora no que toca ao comportamento que eu (marido) devo adoptar.

NINGUÉM, para além de mim, ela e médicos sabem que ela tem depressão.
Ela aceita que tem depressão e é doente.

Mas os amigo vêm a minha esposa como uma pessoa bastante alegre. Acho que é por isso que, em crises, ela isola-se. Ela não demonstra o seu problema e aplica a ela própria uma citação bíblica:
"Mesmo no riso o coração talvez sinta dor" (Prov. 14:13)

Ela vê-me como "confidente" e espera que eu NUNCA conte nada a ninguém... senão estarei a traí-la e esse seria o primeiro passo para ela "ir embora".

Eu tenho respeitado esse pedido... Mas isso é um "pau de dois bicos".
Por um lado, contar abertamente a outros (com o conhecimento dela) iria levá-la a revoltar-se, a isolar-se mais ou a ir-se mesmo embora. Acho que ela não iria aceitar tentativas de ajuda...
Por outro lado, os amigos não sabendo, também não podem ajudar.

Eu acho que, se ela estivesse disposta a falar do que sente aos outros, seria meio caminho para se sentir bem. Mas não é o caso... Ela fecha o seu sofrimento numa grande "concha"...
Eu li algures que terapias de grupo (grupos de depressão) podem ajudar... Existe alguma coisa na Margem Sul ou Lisboa?

Acredito que este seja um problema comum.. Este é um dilema terrível e eu sinceramente às vezes sinto-me só, com um grande problema nas mãos, sem saber o que fazer...

Obrigado...
aniger
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 769
Registado: quinta mar 01, 2007 12:23 am

Mensagempor aniger » quarta jun 30, 2010 11:43 am

Bom andei a pesquisar também um pouco e apesar de não conhecer pessoalmente, verifiquei que na Quinta da tapada em lisboa, fazem terapias de grupo também para a depressão, mas é melhor ver o link da clínica: http://www.dorial.pt/ e através dos contactos telefónicos ou email pedir mais esclarecimentos
Imagem
Ψ Mestrado em Psicologia Clínica
Ana Rita
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1794
Registado: terça ago 31, 2004 1:44 pm
Localização: Lisboa

Mensagempor Ana Rita » terça jul 13, 2010 10:45 pm

Javo, por maior que seja a sua angústia e compreensível sofrimento, só há uma coisa que não pode fazer pela sua esposa, que é precisamente que ela queira ser ajudada. Pode sim continuar a ajudá-la com o seu apoio e fornecer as soluções para que ela faça um tratamento, mas quando temos alguém ao nosso lado que faz mais por nós do que aquilo que nós próprios fazemos, podemos facilmente cair no erro de não sentir uma urgência na nossa recuperação.
Talvez fosse bom que o Javo procurasse algum aconselhamento psicológico, para ter alguma orientação sobre a situação que está a passar.
Se caíres sete vezes, levanta-te oito.
Sandra Gomes
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 5
Registado: terça fev 23, 2010 5:05 pm

Mensagempor Sandra Gomes » sexta jul 23, 2010 7:50 am

olá, a todos e especialmente a Javo
é mto bom q a sua esposa tenha o apoio q tem, mas compreendo a sua angústia. se a ida ao psicólogo tem sido difícil, e ao psiquiatra foi mais facilmente aceite, tente arranjar um psiquiatra que tb faça psicoterapia, há alguns. eu n sou dessa zona, por isso n conheço nenhm, mas talvez algum colega possa ajudar.
Qto à medicação, deverá ser revista pelo psiquiatra, uma vez que nem todos respondem da mesma forma. N entendi se tem havido reavaliações psiquiatricas, oumelhor reajustes na dosagem. por norma os psiquiatras dão um prazo para ver os efeitos da medicação e dps fazem reajustes.
força

Voltar para “Pergunte ao Psicólogo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 4 visitantes