Tenho uma duvida

Espaço dedicado ao público em geral: aqui poderá apresentar as suas questões e dúvidas, e contar com o apoio dos utilizadores deste fórum. IMPORTANTE: leia as Regras de Utilização antes de participar
Regras do Fórum
-----------
O Psicologia.pt não é responsável pelas intervenções dos vários participantes neste Fórum, sendo o teor desses conteúdos, bem como a utilização que se faça dos mesmos, da exclusiva e total responsabilidade de cada utilizador.
Com o objectivo de permitir o total anonimato, o fórum "Pergunte ao Psicólogo" é o único onde é possível a publicação de tópicos por utilizadores não registados.
Ao mesmo tempo, e como deve ser do entendimento de todos, o carácter "anónimo" dos fóruns faz com que este espaço não ofereça condições para interações que se desenvolvam para além da mera "troca de opiniões".
É expressamente proibida neste fórum a divulgação de serviços de psicologia bem como de quaisquer contactos de psicólogos (nomes, nºs de telefone, moradas e outros contactos).
O Psicologia.pt não se responsabiliza pelo rigor técnico e científico, idoneidade e respeito pelos princípios éticos e deontológicos de toda e qualquer participação.
atomicyop
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 1
Registado: quarta jan 05, 2011 11:12 pm

Tenho uma duvida

Mensagempor atomicyop » quarta jan 05, 2011 11:53 pm

Desde a minha infancia que fui sempre gozado, humilhado e agredido por colegas de escola. Os motivos deviam ser o facto de eu ser fraco por motivos de saude. A situação nunca melhorou, somente piorou.
O meu pai sempre foi muito agressivo, por isso dentro e fora de casa sentia-me como se estivesse dentro de uma "batalha" na qual eu não tinha maneira nenhuma de me defender ou ripostar. Ao longo dos anos fui ganhando ódio contra todos os rapazes de "bairro" pois eram os que me atacavam sem motivo nenhum sempre que me viam. Depois dos 12 anos já tinha pensamentos suicidadas que me perseguiam, pois eu nada podia fazer para acabar com as ofensas, as humilhações... Andava sempre com medo na rua e em casa. Pouco tempo depois as ideias suicidas pioraram. O meu pai foi trabalhar para o extrangeiro...e por volta dos 15 anos começei a deixar de comer bem, começei a faltar as aulas todas, a esconder-me num canto para que ninguem me chateasse durante dias, começei a odiar não só os adolescentes de "bairros" ...passei a odiar a raça humana em geral. Tudo e todos passaram a ser para mim como que "demonios".....deixei de confiar em toda a gente, e o unico pensamento que me invadia a cabeça a toda a hora era "mata-os a todos! os humanos miseraveis nunca irão deixcar de ter fazer sofrer".......e esses pensamentos pioraram gradualmente. Um dia, com 19 anos começei a namorar uma rapariga, mas reparei que nada do que eu ou do que ela fizesse me fazia sentir feliz ou triste... como que se dentro de mim não existisse nada....os beijos não sabiam a nada, as palavras não significavam nada, e quando ela me pedia para eu dizer-lhe "Amo-te" eu simplesmente tinha que esforçar-me...fazer força para o dizer... Ao fim de 4 meses ela deixou-me porque sentia que eu não gostava dela, e para mim foi completamente indiferente, como se nada tivesse sequer acontecido, ..pois eu sempre olhei para ela como um ser humano, ...eu que odeio todos os humanos do fundo da minha alma...
Não sinto pena, culpa, tristeza ou felicidade. O meu sonho de vida é arranjar uma maneira de me vingar daqueles que me fizeram sofrer...vingar-me dos "gangs" dos "bairros".....imaginar o sofrimento e horror na cara deles é a unica restia de alegria que sinto que poderei vir a sentir...sinto no fundo da minha existencia que se os matasse a todos, a todos os que odeio que depois nunca mais iria conseguir parar de matar....para a familia proxima e colegas de escola/trabalho instintivamente falo normalmente, sorrio, mostro alegria, tristeza..culpa apesar de não sentir nada disso...quando estou com as pessoas com quem lido diariamente sinto como que se uma parte de mim, a minha "metade normal" é a parte de mim que lida com as pessoas...mas tambem sinto a minha outra parte, a minha outra metade psicologica como que se fosse "um monstro" dentro de mim...ódio em estado puro, desejos de vingança...oiço a voz do meu "lado negro" e sinto que um dia vou perder o controlo de mim proprio....Tenho tanto ódio que torna-se insupurtavel ter de fingir simpatia para com as outras pessoas...

A minha duvida é:
Eu por sentir dores intensas pelo corpo desde o ano passado fui a um medico que depois de realizar muitos exames me disse que as minhas dores são psicologicas. Quando tomo o anti-depressivo e o ansiolitico consigo controlar ligeiramente melhor parte do meu ódio, o meu "outro eu..." ou "demonio dentro de mim"... Sinto-me mais controlado mas sinto que a qualquer momento posso voltar a perder o control de mim proprio... por isso decidi ir a um psiquiatrico. Marquei consulta. Gostaria de saber o que devo dizer ao psiquiatra de modo a receber algo que me ajude sem parecer que estou louco?
Última edição por atomicyop em quinta jan 06, 2011 12:59 am, editado 2 vezes no total.
Ana Rita
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1794
Registado: terça ago 31, 2004 1:44 pm
Localização: Lisboa

Re: Tenho uma duvida

Mensagempor Ana Rita » quinta jan 06, 2011 12:33 am

atomicyop,

Será bom dizer a verdade do que está a sentir ao psiquiatra, não se preocupe com poder achá-lo louco ou não, pois não é essa a função dos profissionais. Se não disser o que tem pensado e sentido será mais dificil ser ajudado. O que denomina como sendo o seu lado negro poderá ganhar proporções bastante maiores. O seu humano sabe ser egoísta, cruel, maldoso. Infelizmente soube isso da pior maneira. Mas também poderá ver o outro lado, porque também existe. Precisa para isso de escolher fazer um tratamento e aconselho a ser seguido também em Psicoterapia para libertar e resolver tudo o que lhe aconteceu.
Se caíres sete vezes, levanta-te oito.

Voltar para “Pergunte ao Psicólogo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 4 visitantes