Ajuda na compreensão de...

Espaço dedicado ao público em geral: aqui poderá apresentar as suas questões e dúvidas, e contar com o apoio dos utilizadores deste fórum. IMPORTANTE: leia as Regras de Utilização antes de participar
Regras do Fórum
-----------
O Psicologia.pt não é responsável pelas intervenções dos vários participantes neste Fórum, sendo o teor desses conteúdos, bem como a utilização que se faça dos mesmos, da exclusiva e total responsabilidade de cada utilizador.
Com o objectivo de permitir o total anonimato, o fórum "Pergunte ao Psicólogo" é o único onde é possível a publicação de tópicos por utilizadores não registados.
Ao mesmo tempo, e como deve ser do entendimento de todos, o carácter "anónimo" dos fóruns faz com que este espaço não ofereça condições para interações que se desenvolvam para além da mera "troca de opiniões".
É expressamente proibida neste fórum a divulgação de serviços de psicologia bem como de quaisquer contactos de psicólogos (nomes, nºs de telefone, moradas e outros contactos).
O Psicologia.pt não se responsabiliza pelo rigor técnico e científico, idoneidade e respeito pelos princípios éticos e deontológicos de toda e qualquer participação.
Pimbolim
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 1
Registado: sábado abr 23, 2011 12:05 pm

Ajuda na compreensão de...

Mensagempor Pimbolim » sábado abr 23, 2011 12:40 pm

Bom dia,
O meu nome é Miguel e neste momento estou numa situação meio complicada com uma "amiga" e gostaria de ouvir o vosso parecer, se possível, sobre a mesma.
A situação é a seguinte:
Nós conhecemo-nos há +- 2 meses num bar. De imediato criámos empatia um pelo outro (pelo menos foi o que achei), conversámos rimos...muito do mesmo durante um mês e tal. Apesar disto um obstáculo é a distância: só conseguimos estar juntos aí 3 ou 4 vezes por semana.
Aí há 3 semanas disse-lhe que em breve iria estar ausente do país uma semana. Após dois dias, num dos nossos demais encontros, disse que me amava e eu, que sentia o mesmo, disse-lhe o mesmo. Posto isto, quando nos íamos a beijar virou a cara e disse que não queria nada comigo até eu regressar da viagem pois tinha medo que eu viesse diferente. Ao ouvir isto fiquei um tanto ou quanto estupefacto pois pensei de imediato que não tinha confiança em mim. Passaram-se uns segundos, que pareceram-se um infinidade de tempo, em silêncio e disse-lhe que até compreendia a sua possível insegurança. Depois disto passámos o resto da noite agarrados um ao outro a falar e pouco mais que isso.
Na semana que se seguiu falámos apenas por telemóvel porque não se quis encontrar comigo, pois não queria ter de despedir-se de mim antes de ir de viagem. Portanto a única despedida foi a chamada que lhe fiz antes de partir onde lhe disse que a levava comigo no meu coração, que a sua insegurança não iria passar disso mesmo (uma mera insegurança) e sempre que possível lhe iria ligar.
Passada essa semana que tive fora, falámos 3 ou 4 vezes durante esse tempo, quando cheguei a casa liguei-lhe. O que me disse foi que as coisas tinham mudado e que já não gostava de mim e que ia apagar meu número. Não posso esconder a tristeza que senti ao ouvir isto, que foi muita. Respondi-lhe que não compreendia o que tinha mudado e perguntei-lhe o que afinal havia mudado. Não me respondeu e desligou. Liguei-lhe de seguida e desligou-me então, mandei-lhe apenas uma mensagem a dizer que enquanto tive fora mandei fazer uma prenda para ela e que mesmo que não a quisesse lha queria dar pois tinha sido feita para ela. Passaram-se dois dias sem falarmos até que me ligou e disse que me queria como amigo e que precisava de espaço. Depois disso falámos durante 3 dias mas apenas por mensagens até que tivemos juntos ontem novamente.
Este nosso encontro foi meramente casual, no café onde nos costumávamos encontrar.Tivemos como meros amigos, conversámos, rimos, o normal...Depois de ela ir para casa, já visivelmente meio embriagada, mandou-me mensagem e ainda falámos umas 2 horas quase. A conversa foi-se encaminhando para o campo da nossa relação e disse-lhe que a amava e que a adorava acima de qualquer outra coisa e ela respondeu que também me amava. Hoje de manhã mandou-me mensagem e disse-me que não se lembrava do que falámos por mensagens e não me disse mais nada até agora.

Gostava de ouvir vosso parecer sobre o que se passará na cabeça dela e se lhe devo dar a prenda ou não e o que acharem da situação.
Desde já obrigado.

Voltar para “Pergunte ao Psicólogo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 5 visitantes