Á procura de Psicologo ateu no porto...

Espaço dedicado ao público em geral: aqui poderá apresentar as suas questões e dúvidas, e contar com o apoio dos utilizadores deste fórum. IMPORTANTE: leia as Regras de Utilização antes de participar
Regras do Fórum
-----------
O Psicologia.pt não é responsável pelas intervenções dos vários participantes neste Fórum, sendo o teor desses conteúdos, bem como a utilização que se faça dos mesmos, da exclusiva e total responsabilidade de cada utilizador.
Com o objectivo de permitir o total anonimato, o fórum "Pergunte ao Psicólogo" é o único onde é possível a publicação de tópicos por utilizadores não registados.
Ao mesmo tempo, e como deve ser do entendimento de todos, o carácter "anónimo" dos fóruns faz com que este espaço não ofereça condições para interações que se desenvolvam para além da mera "troca de opiniões".
É expressamente proibida neste fórum a divulgação de serviços de psicologia bem como de quaisquer contactos de psicólogos (nomes, nºs de telefone, moradas e outros contactos).
O Psicologia.pt não se responsabiliza pelo rigor técnico e científico, idoneidade e respeito pelos princípios éticos e deontológicos de toda e qualquer participação.
Ana Rita
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1794
Registado: terça ago 31, 2004 1:44 pm
Localização: Lisboa

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor Ana Rita » sexta ago 05, 2011 11:54 pm

E no entanto não sou uma crente! Agora pergunto-lhe: onde me encaixo nas suas duas formas de ver o mundo? Fé e razão? E sublinho que apesar de não ser uma crente, acredito naquilo que lhe disse. Acredito também que nem eu nem o BernPinto sabemos o que é realmente verdade no meio disto tudo. Daí ter falado ironicamente em ser um homem cheio de certezas. Ao contrário da época da adolescência, ao longo dos anos aprendemos que as certezas vão diminuindo, pois existe muito mais do que aquilo que conseguimos compreender e milhões de artigos científicos só nos remetem para o tanto que falta saber. O mesmo se passa com a fé. Sabemos pouco.

Existirem há vários anos muitas refutações dos argumentos que utilizei (mais uma vez assume que não tenho conhecimento disso) não significa que estes não sejam válidos. Ter sido construída uma lógica que vai ao encontro das suas convicções e recursos para falar sobre elas mais exaustivamente não lhe confere o poder de ter razão. Se conferisse, não estávamos aqui a debater isto. :wink:
Se caíres sete vezes, levanta-te oito.
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » sábado ago 06, 2011 12:14 am

Ana Rita Escreveu:E no entanto não sou uma crente! Agora pergunto-lhe: onde me encaixo nas suas duas formas de ver o mundo? Fé e razão? E sublinho que apesar de não ser uma crente, acredito naquilo que lhe disse. Acredito também que nem eu nem o BernPinto sabemos o que é realmente verdade no meio disto tudo. Daí ter falado ironicamente em ser um homem cheio de certezas. Ao contrário da época da adolescência, ao longo dos anos aprendemos que as certezas vão diminuindo, pois existe muito mais do que aquilo que conseguimos compreender e milhões de artigos científicos só nos remetem para o tanto que falta saber. O mesmo se passa com a fé. Sabemos pouco.

Existirem há vários anos muitas refutações dos argumentos que utilizei (mais uma vez assume que não tenho conhecimento disso) não significa que estes não sejam válidos. Ter sido construída uma lógica que vai ao encontro das suas convicções e recursos para falar sobre elas mais exaustivamente não lhe confere o poder de ter razão. Se conferisse, não estávamos aqui a debater isto. :wink:


Oh ana, por amor de deus. Isto começa a tornar-se ridiculo. "Ter sido construida uma lógica que vai ao encontro das minhas convicções" ? A lógica é o estudo de inferências válidas e racocinio correcto. Estamos a falar de lógica aristotiliana. Lógica é lógica. Ou é consistente e válida ou não é. Agora não incorra em falácias lógicas para depois me vir dizer que de facto não está errada, a lógica é que evoluiu para poder acomodar as "minhas opiniões".
Sejemos minimamente sérios.

Em relação á sua pergunta da fé e da razão, em primeiro lugar não são as "minhas duas formas de ver o mundo" . São os processos de interacção com informação que existem ponto. Sinta-se livre para me dizer que outros conheçe. Respondendo directamente á pergunta, não faço ideia porque não a conheço. Mas apesar de serem contrárias e incompativeis. o cérebro humano é absolutamente fantástico a compartimentalizar. Ou seja, é possível ter o conheçimento e educação necessárias para saber construir uma bomba nuclear e ao mesmo tempo acreditar que se vai receber 72 virgens pós-morte. De facto estas pessoas existem. Ttoda a gente que é religiosa/crente é irracional em relação á origem do universo e á origem da espécie humana(ou são vitimas de "self-deception" e "wishfull thinking".Mas em relação a tudo o resto podem ser extremamente racionais. E eu não estou a retirar mistério nenhum, eu sou o primeiro a concordar que o mundo é absolutamente surreal. Alias isso é uma percepção errada que as pessoas têm. Uma das coisas que a fé faz é exatamente aquilo de que se está a queixar. Ensina-nos a ficar-mos satisfeitos com o não compreender o mundo. A ciência por outro lado, tenta descobrir as respostas assumindo á priori o seu desconheçimento. Essa posição de que a fé e a ciência são reconciliavéis vai-lhe ganhar muitos amigos mas é uma posição intelectualmente desonesta mesmo que não se aperceba disso.

Existe imenso mistério no mundo, eu acho que basta pensar em argumentos filosóficos como o "brain in a vat" ou "simulation argument" para perceber o quão estranha aquilo que nos entendemos por realidade realmente é. Mas tendo dito isso, porque não investigar, procurar, teorizar, testar, ou mesmo admitir que não sabemos e que talvez não seja passivél de ser compreendido, em vez de fingirmos que temos as respostas tal como a religião faz?
vectrapc
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1382
Registado: domingo mai 08, 2005 9:10 pm
Localização: lisboa

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor vectrapc » sábado ago 06, 2011 9:50 am

A ciência e a religião andam de mãos dadas desde sempre.
Se falamos em filosofia e retóricas, teremos também de referir que nunca conhecemos a realidade em si, o númeno é sempre desconhecido, porque o fenómeno é já sinal da nossa leitura dessa mesma realidade. Deste modo, nem com a ciência nem com a religião lá chegamos. Tudo o que vemos, tudo o que tocamos, alteramos. Toda a ciência, toda a investigação, é baseada nas crenças do investigador, logo, já por si são sinais de deturpação da "realidade"
Ser ateu, religioso, crente no ser humano, na natureza é ou vertente de um ou mais deuses, ou pura e simplesmente crença numa dita ciência que é feita de dogmas que mudam de acordo com os caprichos do homem, que são regulados por questões económicas. E aqui entramos numa outra área, não será a própria economia uma religião?
Seja o que for que se acredite, apenas de uma coisa temos a certeza, se vivemos, morremos. Agora cada um escolhe como o quer fazer, com a certeza que nenhum de nós saberá sempre toda a verdade.
Agora, nenhum Psicólogo é ateu da sua ciência, porque seja qual for o modelo em que ele acredita, seja por base em hipóteses pensadas e respostas encontradas para essas mesmas questões. Estamos sempre a confiar que o outro, e não eu, chegou a uma resposta a perguntas por mim feitas. Não será isso também uma crença.
Concordo num grande ponto que só pode ser experienciado por quem tem a oportunidade de viver num outro mundo. Somos terrívelmente católicos, quer nos chamemos ateus, protestantes, o que for. Somente sentimos o peso que a religião dos nossos pais tem em nós, mesmo que não seja a nossa escolha, quando vivemos durante algum tempo num outro país. Nunca fui tão católica, tão portuguesa, tão latina como quando vivo fora desta "realidade". E por muito que queira acreditar que sou isto ou aquilo, somos tão diferentes e ao mesmo tempo tão semelhantes, que apenas estamos a olhar para o prisma da vida por lados diferentes.
É melhor acender uma vela do que amaldiçoar a escuridão
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » sábado ago 06, 2011 2:32 pm

vectrapc Escreveu:A ciência e a religião andam de mãos dadas desde sempre.
Se falamos em filosofia e retóricas, teremos também de referir que nunca conhecemos a realidade em si, o númeno é sempre desconhecido, porque o fenómeno é já sinal da nossa leitura dessa mesma realidade. Deste modo, nem com a ciência nem com a religião lá chegamos. Tudo o que vemos, tudo o que tocamos, alteramos. Toda a ciência, toda a investigação, é baseada nas crenças do investigador, logo, já por si são sinais de deturpação da "realidade"
Ser ateu, religioso, crente no ser humano, na natureza é ou vertente de um ou mais deuses, ou pura e simplesmente crença numa dita ciência que é feita de dogmas que mudam de acordo com os caprichos do homem, que são regulados por questões económicas. E aqui entramos numa outra área, não será a própria economia uma religião?
Seja o que for que se acredite, apenas de uma coisa temos a certeza, se vivemos, morremos. Agora cada um escolhe como o quer fazer, com a certeza que nenhum de nós saberá sempre toda a verdade.
"
Concordo num grande ponto que só pode ser experienciado por quem tem a oportunidade de viver num outro mundo. Somos terrívelmente católicos, quer nos chamemos ateus, protestantes, o que for. Somente sentimos o peso que a religião dos nossos pais tem em nós, mesmo que não seja a nossa escolha, quando vivemos durante algum tempo num outro país. Nunca fui tão católica, tão portuguesa, tão latina como quando vivo fora desta "realidade". E por muito que queira acreditar que sou isto ou aquilo, somos tão diferentes e ao mesmo tempo tão semelhantes, que apenas estamos a olhar para o prisma da vida por lados diferentes.


Eu quase que não vejo nada concreto no seu texto. Apenas glorificou o relativismo que é o que a maior parte das pessoas faz na esperança de estar a assumir a posição mais razoavél.

Em primeiro lugar, a ciência nunca andou de mãos dadas com a religião. Isso é ridiculo. Basta ter o minimo de conheçimento de história para se perceber que isso não faz sentido. Não percebo onde vão buscar estas afirmações. Tenho a certeza que se pensar um bocadinho se lembra imediatamente de vários exemplos de como isso não é verdade. Nem que seja o caso do galileu, o pai da ciência moderna e o caso de socrates que foi efectivamente condenado á morte por "corromper a juventude" e por não reconheçer os deuses. O facto é que há 1000 anos atrás nós não poderiamos ter tido esta conversa ( em forma real) ou então teriamo-la tido á custa das nossas vidas. Não preciso de falar sobre o que aconteçia quando se tinha dúvidas nestas epocas pois nao? Não preciso de falar na inquisição certo? A unica razão porque hoje podemos ter uma conversa destas e cada um ir descansado á sua vida é devido ao progresso ciêntifico e uma das suas principais consequências, que é a retracção da religião. Quando mais a ciência progride, mais a religião se retrai. Sempre foi assim.

Eu já tinha referido que a realidade é algo muito estranho. Eu já admiti isso inumeras vezes. Mais uma vez, basta pensar em determinados argumentos como o "brain in a vat" para se chegar a essa conclusão. Mas muito interessante que por exemplo esse argumento seja, para vivermos uma vida dita "normal" (e estou a usar o termo normal de forma solta aqui) existe um axioma que temos absolutamente de aceitar, e esse é que a realidade é de facto a realidade. Estou de acordo em relação ao mistério, a unica coisa que proponho e defendo é a separação do númeno do sobrenatural. A ciência e a religião não lá chegam? Bem a religião nem se quer está interessada em lá chegar pois já tem todas as respostas que precisa. É impossivel dizer se a ciência conseguirá descobrir determinadas coisas ou não até porque há coisas (como a natureza da realidade) que por definição são impossiveis de saber. Mas que é a unica ferramente (das duas existentes) que tem o potêncial de descrobrir determinadas verdades, isso pareçe obvio.

Aquilo que disse de que a ciência se basea nas crenças pessoais do investigador, não podia estar mais longe da verdade. Alias, isso é definição de má investigação. Dei isso logo no primeiro semestre do curso e acho que qualquer pessoa com bom senso percebe que isso não é verdade. A unica coisa em que a ciência se baseia são determinados axiomas. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Há aqui um grande problema também que é o facto de a maior parte das pessoas terem uma percepção completamente destorcida do que é ciência. Quando ouvem falar em ciência imaginam imediamente homens em fato brancos a testar determinadas hipóteses em laboratório. Claro que isso faz parte da ciência mas quando falamos em ciência como ferramente de interação com o mundo/informação, num nível básico estamos a falar de simples conceitos como racionalidade, consistência lógica, cepticismo, valorização de evidência, etc. E a maior parte das pessoas utiliza estes conceitos no seu dia-a-dia mas depois quando chegam ás chamadas "grandes questões da vida" ignoram completamente esses conceitos e afirmam que a ciência nunca conseguirá dar resposta a estas mesmas questões e que é arrogante por tentar.

"Agora, nenhum Psicólogo é ateu da sua ciência, porque seja qual for o modelo em que ele acredita, seja por base em hipóteses pensadas e respostas encontradas para essas mesmas questões. Estamos sempre a confiar que o outro, e não eu, chegou a uma resposta a perguntas por mim feitas. Não será isso também uma crença."

Em relação a este parágrafo, está fazer uma grande confusão e a usar termos que não fazem sentido no contexto em que os está a utilizar. Uma das caratrísticas da ciência, ao contrário da religião que não é falsificavél , é que não tem de confiar que os outros chegaram a uma resposta. Pode você mesmo repetir a experiência/testagem e se fizer a mesma coisa nas mesmas condições terá o mesmo resultado.( E se não tiver o mesmo resultado embora tenha replicado a experiência vai haver consistência lógica nas condições que produzem o erro ou na aleatoriedade se for essa a causa) Nenhum psicologo é ateu da sua ciência nem nenhum psicologo é crente da sua ciência. Os psicologos acreditam que determinado modelo funciona porque têm EVIDÊNCIAS de que este funciona. De facto se eu amanha chegasse ao pé de si, e lhe falasse num novo método de psicoterapia que o individuo X acabou de inventar e lhe dissese para o utilizar a partir de agora porque traz resultados espantosos, você não acreditaria em mim. Porque? Porque nunca ouviu falar des novo método e não tem quaisquer EVIDÊNCIAS que ele de facto funciona muito menos, que funcione bem. Ou seja no seu dia-a-dia, você opera segundo algo chamado "cepticismo ciêntifico" Simplesmente a religião e as questões chamadas metafísicas gozam e sempre gozaram de determinados previlégios. Não se pode atacar, não se pode questionar e utilizar a razão? Nem pensar. Utilizar lógica? Nunca. E as consequências desta forma de pensar que dura á séculos e séculos está hoje bem visivel na sociedade.
Última edição por BernPinto em sábado ago 06, 2011 2:53 pm, editado 1 vez no total.
Ana Rita
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1794
Registado: terça ago 31, 2004 1:44 pm
Localização: Lisboa

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor Ana Rita » sábado ago 06, 2011 2:50 pm

Com a abertura deste tópico deveria equacionar quando é que algo começa a ser ridiculo.
Se muito não é passível de ser compreendido, então não se pode afirmar categoricamente o que a religião verdadeiramente é ou deixa de ser e muito menos a fé. Pouco sério é ter a presunção que se detém verdades absolutas sobre estes assuntos, só porque lógica é lógica.
A posição de reconciliação entre fé e ciência é um modo de estar, em que me baseio na principal ideia de que não tenho os conhecimentos totais acerca de nenhuma delas e que não me faz confusão a coexistência de ambas. Mais do que ganhar muitos amigos ou posição intelectualmente desonesta, é na verdade apenas humildade.
Como a vectrapc disse, apenas temos a certeza que nenhum de nós saberá toda a verdade. Simplesmente, há sempre quem ache que sabe mais verdades do que os outros.

Essa parte que fala das evidências... vai ter problemas BernPinto... quando se deparar com a transformação de pacientes sem que consiga detectar a evidência daquela mudança. Está enganado se acha que nesta profissão está tudo preto no branco, independentemente de ser ciência.

Encerro aqui a minha intervenção, porque o BernPinto está a despejar os livros de filosofia que leu e eu sou demasiado preguiçosa para ler tudo com atenção. Não foi esse o curso que tirei :wink: Bom fim de semana!
Se caíres sete vezes, levanta-te oito.
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » sábado ago 06, 2011 3:00 pm

Ana Rita Escreveu:Com a abertura deste tópico deveria equacionar quando é que algo começa a ser ridiculo.
Se muito não é passível de ser compreendido, então não se pode afirmar categoricamente o que a religião verdadeiramente é ou deixa de ser e muito menos a fé. Pouco sério é ter a presunção que se detém verdades absolutas sobre estes assuntos, só porque lógica é lógica.
A posição de reconciliação entre fé e ciência é um modo de estar, em que me baseio na principal ideia de que não tenho os conhecimentos totais acerca de nenhuma delas e que não me faz confusão a coexistência de ambas. Mais do que ganhar muitos amigos ou posição intelectualmente desonesta, é na verdade apenas humildade.
Como a vectrapc disse, apenas temos a certeza que nenhum de nós saberá toda a verdade. Simplesmente, há sempre quem ache que sabe mais verdades do que os outros.

Essa parte que fala das evidências... vai ter problemas BernPinto... quando se deparar com a transformação de pacientes sem que consiga detectar a evidência daquela mudança. Está enganado se acha que nesta profissão está tudo preto no branco, independentemente de ser científica.

Encerro aqui a minha intervenção, porque o BernPinto está a despejar os livros de filosofia que leu e eu sou demasiado preguiçosa para ler tudo com atenção. Não foi esse o curso que tirei :wink: Bom fim de semana!


Portanto acha a abertura deste tópico ridiculo? Acho que isso diz muito sobre si. Eu simplesmente fiz um pedido honesto e genuino. Até pedi que se tentasse evitar entrar em debates. O que é que ana fez até agora? Defendeu a fé, criticou-me, desafiou as regras da lógica, teve a audácia de dizer que a lógica evoluiu para acomodar as minhas opiniões ( esta é tão surreal que vou ver se não me esqueço ).etc... Acho que não está em posição de dizer o que é ou não ridiculo.

Não precisa de saber tudo sobre religião nem tudo sobre ciência para saber que são incompativeis. Na verdade basta saber em que consiste os fundamentos de cada uma. Fé vs Razão. Como é que pode ter a certeza que nenhum de nós nunca saberá toda a verdade? Não acabou de dizer que nós não temos certezas nenhumas? A isso chama-se special pleading. Não estou a tentar ser chato, apenas a demonstrar o seu erro de racocínio. Já demonstrou várias vezes que não compreende muitas das coisas que estão aqui a ser faladas e para se defender diz que eu sou arrogante, que estou a despejar conheçimento, que não tem tempo para ler os livros que eu li. Eu já disse que não sou mais inteligente que ninguém. Tenho a certeza que a ana percebe de vários assuntos dos quais eu não percebo absolutamente nada.

Nunca disse que a psicologia era a preto e branco. Existe imensa subjectividade. Mas a subjectividade nunca implicou o abandono da razão, da lógica, da valorização de evidência, e nem sequer sugere que não haja respostas. Existe uma grande diferença entre não haver respostas para algo em teoria, e não haver respostas para algo em prática. Só porque nós não conseguimos aceder a determinada informação, isso não significa que ela não exista, ou que não hajam respostas ou que tudo é relativo.
AbLaZe
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1498
Registado: sexta jun 01, 2007 12:27 pm
Localização: Neverland

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor AbLaZe » sábado ago 06, 2011 11:03 pm

BernPinto, para além de Religião e Filosofia, convinha-lhe ser um estudioso de gramática portuguesa. Alguém que detém a verdade absoluta deveria escrever melhor a língua portuguesa.
E faça um favor a todos nós: esqueça o psicólogo ateu. Ninguém discute religião nestes moldes, nas sessões de psicoterapia, portanto o psicólogo que se deixe invadir pessoalmente ao ponto de falar na sua crença religiosa, já não está a fazer bem o seu papel.
Aproveite o curso de Psicologia para aprender em que consiste a consulta psicológica e qual deve ser a postura de um psicólogo perante as questões que aqui colocou.
Vi Veri Veniversum Vivus Vici
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » domingo ago 07, 2011 1:58 pm

AbLaZe Escreveu:BernPinto, para além de Religião e Filosofia, convinha-lhe ser um estudioso de gramática portuguesa. Alguém que detém a verdade absoluta deveria escrever melhor a língua portuguesa.
E faça um favor a todos nós: esqueça o psicólogo ateu. Ninguém discute religião nestes moldes, nas sessões de psicoterapia, portanto o psicólogo que se deixe invadir pessoalmente ao ponto de falar na sua crença religiosa, já não está a fazer bem o seu papel.
Aproveite o curso de Psicologia para aprender em que consiste a consulta psicológica e qual deve ser a postura de um psicólogo perante as questões que aqui colocou.



Se há coisa que eu não estava á espera era de tantos ataques pessoais num forum de psicologia, por parte de psicologos. Mas talvez seja uma pequena representação do que se passa na profissão em portugal.Já disse várias vezes que não sou mais inteligente do que ninguém, e no entanto continuam a acusar-me de possuir verdades absolutas. E o mais engraçado é que não demonstram porque essas verdades estão erradas, apenas defendem uma certa ignorância dizendo que estas são absolutas e refugiando-se consequentemente no relativismo.

Não vou esqueçer o psicólogo ateu porque é a minha prerrogativa e o meu direito ser tratado por um por muito que isso não lhe agrade.
Desde quando é que não se discute religião em consultas psicológicas? Só não se discute se os intervenientes não estiverem interessados em faze-lo. Ou acha que se o assunto for importante para o cliente, o psicólogo evita falar nele receando que as suas crenças influenciem o tratamento? O psicólogo provavelmente vai evitar transmitir o seu ponto de vista e a sua crença e tentar ver as coisas pela prespectiva do doente e ver que sentimentos estão em causa isso é certo. Sendo a palavra chave tentar.

Tenho uma boa noção daquilo em que consiste a consulta psicológica. E agora colocando de parte as regras de conduta, a objetividade do psicólogo e o código deontológico, o facto de você achar que as suas crenças nunca ( ou quase nunca) afectam a as suas consultas é de uma ingenuidade incrivél.
E eu nem sequer precisaria de falar em religião para as crenças do psicólogo entrarem em jogo, bastava começar a falar em determinismo por exemplo, e na ilusão de livre arbitrio e coisas do género.

Peço já desculpa pelos possiveis erros ortrogáficos mas vou assumir que apesar da minha má escrita, você é inteligente o suficiente para perceber o que lhe estou a dizer.
IrinaReg
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 52
Registado: segunda jul 27, 2009 10:22 am

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor IrinaReg » domingo ago 07, 2011 3:39 pm

BernPinto, apenas um pequeno detalhe que acho que, muitas vezes, fica colocado de lado neste fórum.

Este é um fórum de psicologia, como tal, tem membros que são psicólogos, outros que são curiosos pela disciplina, outros que vêm em busca de algum esclarecimento ou ajuda, etc.
Não nos devemos esquecer que, aqui, como em outro qualquer contexto (que não na prática clínica), os psicólogos são meros participantes e não estão a responder nem a comportar-se enquanto tal.
Aqui no fórum, penso que essa regra também se mantém: o facto de lá estar o título, não significa que a postura seja a mesma que em contexto terapêutico.
Na terapia, somos psicólogos/psicoterapeutas, no quotidiano somos nós - mantemos (ou devemos manter) a nossa ética, a nossa moral, mas não a nossa profissão ;)
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » domingo ago 07, 2011 3:59 pm

IrinaReg Escreveu:BernPinto, apenas um pequeno detalhe que acho que, muitas vezes, fica colocado de lado neste fórum.

Este é um fórum de psicologia, como tal, tem membros que são psicólogos, outros que são curiosos pela disciplina, outros que vêm em busca de algum esclarecimento ou ajuda, etc.
Não nos devemos esquecer que, aqui, como em outro qualquer contexto (que não na prática clínica), os psicólogos são meros participantes e não estão a responder nem a comportar-se enquanto tal.
Aqui no fórum, penso que essa regra também se mantém: o facto de lá estar o título, não significa que a postura seja a mesma que em contexto terapêutico.
Na terapia, somos psicólogos/psicoterapeutas, no quotidiano somos nós - mantemos (ou devemos manter) a nossa ética, a nossa moral, mas não a nossa profissão ;)


Sim, tem toda a razão nisso. Apesar de eu achar que se espera um pouco mais em termos de atitude de um psicologo do que uma pessoa de outra profissão, mesmo fora do âmbito profissional. :wink:
AbLaZe
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1498
Registado: sexta jun 01, 2007 12:27 pm
Localização: Neverland

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor AbLaZe » domingo ago 07, 2011 8:48 pm

Pois aí está o seu principal problema, BernPinto: vive centrado nas suas expectativas. Qualquer psicólogo que se lhe apresente como ateu não vai ser levado a sério por si, de tão obcecado que está com essa questão!
Vi Veri Veniversum Vivus Vici
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » domingo ago 07, 2011 10:33 pm

AbLaZe Escreveu:Pois aí está o seu principal problema, BernPinto: vive centrado nas suas expectativas. Qualquer psicólogo que se lhe apresente como ateu não vai ser levado a sério por si, de tão obcecado que está com essa questão!



O meu principal problema? Muito obrigado pelo diagnóstico então.
Aparentemente eu não deveria ter expectativas sejam elas adequadas e razoáveis ou improvaveis e desmedidas.
Emfim...

Boa sorte para si.
Avatar do Utilizador
Liliana Costa
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 627
Registado: terça fev 01, 2005 2:14 pm
Localização: Amarante,Porto
Contacto:

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor Liliana Costa » quarta ago 10, 2011 9:25 pm

cada vez sinto menos vontade de vir a este fórum....ora porque nos "cortam" posts sem lógica...só porque parece bem, ora porque não se vê respeito de opiniões. Concordo totalmente com a visão do colega BernPinto e nem por isso vou entrar com duas pedras na mão contra os que têm outra opinião. Entre crentes, ateus e agnósticos o que conta é que quem fez o pedido explicitou bem o queria, por algum motivo.... :roll: Bem diz o velho ditado que há coisas que não se devem discutir....a religião é uma delas....

Eu não sou crente, nem sei como poderia sê-lo, não o concebo....no entanto lido ocasionalmente em consulta com uma população crente. Respeito-os e sei até que ponto a fé os ajuda...
AbLaZe
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1498
Registado: sexta jun 01, 2007 12:27 pm
Localização: Neverland

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor AbLaZe » quarta ago 10, 2011 10:21 pm

Digo e repito que o BernPinto anda demasiado centrado na questão religiosa, ou obcecado (que é aquele que se apresenta obsessivo), pelo que será difícil para ele confiar no/a seu/sua psicólogo/a sem entrar em exagerada profundidade nas crenças do mesmo/a. Ora, um bom profissional sabe muito bem colocar as barreiras entre aquilo em que acredita e aquilo em que o seu paciente acredita, e evitar que as suas crenças pessoais interfiram na psicoterapia! Daí ser irrelevante a crença religiosa do psicólogo. Se assim não fosse, não haveria casos de assassinos, agressores sexuais, pedófilos, etc, em terapia. Claro está que, numa base moral, o terapeuta que os ouve não concorda com os actos e pensamentos que estes sujeitos têm, mas o papel dele não é moralizar ninguém! No que toca às crenças religiosas, é a mesma coisa: numa psicoterapia um psicólogo não vai procurar retirar ou dar a fé numa religião a ninguém. É uma questão de ética, colegas. Não entendo as dúvidas neste campo.

Liliana Costa, se está tão aborrecida com o post cortado, eu volto a escrevê-lo. Devia era ter vergonha do que disse à utilizadora!
Vi Veri Veniversum Vivus Vici
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » quarta ago 10, 2011 11:29 pm

AbLaZe Escreveu:Digo e repito que o BernPinto anda demasiado centrado na questão religiosa, ou obcecado (que é aquele que se apresenta obsessivo), pelo que será difícil para ele confiar no/a seu/sua psicólogo/a sem entrar em exagerada profundidade nas crenças do mesmo/a. Ora, um bom profissional sabe muito bem colocar as barreiras entre aquilo em que acredita e aquilo em que o seu paciente acredita, e evitar que as suas crenças pessoais interfiram na psicoterapia! Daí ser irrelevante a crença religiosa do psicólogo. Se assim não fosse, não haveria casos de assassinos, agressores sexuais, pedófilos, etc, em terapia. Claro está que, numa base moral, o terapeuta que os ouve não concorda com os actos e pensamentos que estes sujeitos têm, mas o papel dele não é moralizar ninguém! No que toca às crenças religiosas, é a mesma coisa: numa psicoterapia um psicólogo não vai procurar retirar ou dar a fé numa religião a ninguém. É uma questão de ética, colegas. Não entendo as dúvidas neste campo.

Liliana Costa, se está tão aborrecida com o post cortado, eu volto a escrevê-lo. Devia era ter vergonha do que disse à utilizadora!


Ablaze, lá porque não entende as dúvidas não significa que que tenha razão. Existe uma diferença entre não perceber e saber.
Mas, mais importante que isso, no meu ultimo post quando escrevi "boa sorte para si" foi uma maneira educada de dizer " a nossa conversa termina aqui".
Guarde os seus julgamentos para si.
Suponho que isso também faz parte de ser um "bom profissional".
AbLaZe
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1498
Registado: sexta jun 01, 2007 12:27 pm
Localização: Neverland

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor AbLaZe » quarta ago 10, 2011 11:54 pm

BernPinto Escreveu:
AbLaZe Escreveu:Digo e repito que o BernPinto anda demasiado centrado na questão religiosa, ou obcecado (que é aquele que se apresenta obsessivo), pelo que será difícil para ele confiar no/a seu/sua psicólogo/a sem entrar em exagerada profundidade nas crenças do mesmo/a. Ora, um bom profissional sabe muito bem colocar as barreiras entre aquilo em que acredita e aquilo em que o seu paciente acredita, e evitar que as suas crenças pessoais interfiram na psicoterapia! Daí ser irrelevante a crença religiosa do psicólogo. Se assim não fosse, não haveria casos de assassinos, agressores sexuais, pedófilos, etc, em terapia. Claro está que, numa base moral, o terapeuta que os ouve não concorda com os actos e pensamentos que estes sujeitos têm, mas o papel dele não é moralizar ninguém! No que toca às crenças religiosas, é a mesma coisa: numa psicoterapia um psicólogo não vai procurar retirar ou dar a fé numa religião a ninguém. É uma questão de ética, colegas. Não entendo as dúvidas neste campo.

Liliana Costa, se está tão aborrecida com o post cortado, eu volto a escrevê-lo. Devia era ter vergonha do que disse à utilizadora!


Ablaze, lá porque não entende as dúvidas não significa que que tenha razão. Existe uma diferença entre não perceber e saber.
Mas, mais importante que isso, no meu ultimo post quando escrevi "boa sorte para si" foi uma maneira educada de dizer " a nossa conversa termina aqui".
Guarde os seus julgamentos para si.
Suponho que isso também faz parte de ser um "bom profissional".


Releia o meu comentário e vai reparar que me refiro a si na terceira pessoa, logo estou a dirigir-me aos meus colegas de profissão.

Até nunca, que estou cansada de reparos fúteis! Se têm tema para discutir, então façam-no!
Vi Veri Veniversum Vivus Vici
BernPinto
Membro Iniciante
Membro Iniciante
Mensagens: 31
Registado: quarta ago 03, 2011 10:44 pm

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor BernPinto » quinta ago 11, 2011 12:02 am

AbLaZe Escreveu:
BernPinto Escreveu:
AbLaZe Escreveu:Digo e repito que o BernPinto anda demasiado centrado na questão religiosa, ou obcecado (que é aquele que se apresenta obsessivo), pelo que será difícil para ele confiar no/a seu/sua psicólogo/a sem entrar em exagerada profundidade nas crenças do mesmo/a. Ora, um bom profissional sabe muito bem colocar as barreiras entre aquilo em que acredita e aquilo em que o seu paciente acredita, e evitar que as suas crenças pessoais interfiram na psicoterapia! Daí ser irrelevante a crença religiosa do psicólogo. Se assim não fosse, não haveria casos de assassinos, agressores sexuais, pedófilos, etc, em terapia. Claro está que, numa base moral, o terapeuta que os ouve não concorda com os actos e pensamentos que estes sujeitos têm, mas o papel dele não é moralizar ninguém! No que toca às crenças religiosas, é a mesma coisa: numa psicoterapia um psicólogo não vai procurar retirar ou dar a fé numa religião a ninguém. É uma questão de ética, colegas. Não entendo as dúvidas neste campo.

Liliana Costa, se está tão aborrecida com o post cortado, eu volto a escrevê-lo. Devia era ter vergonha do que disse à utilizadora!


Ablaze, lá porque não entende as dúvidas não significa que que tenha razão. Existe uma diferença entre não perceber e saber.
Mas, mais importante que isso, no meu ultimo post quando escrevi "boa sorte para si" foi uma maneira educada de dizer " a nossa conversa termina aqui".
Guarde os seus julgamentos para si.
Suponho que isso também faz parte de ser um "bom profissional".


Releia o meu comentário e vai reparar que me refiro a si na terceira pessoa, logo estou a dirigir-me aos meus colegas de profissão.

Até nunca, que estou cansada de reparos fúteis! Se têm tema para discutir, então façam-no!


SIm eu percebi isso , mas o meu comentário mantém-se.
Ja é a segunda ou terçeira vez que diz que eu estou obsecado e acho que já passamos dessa fase. Já explicitou a sua opinião, para que conitnuar?
Avatar do Utilizador
Liliana Costa
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 627
Registado: terça fev 01, 2005 2:14 pm
Localização: Amarante,Porto
Contacto:

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor Liliana Costa » quinta ago 11, 2011 12:04 pm

Ablaze,

:D Agora decide quem deve ter vergonha do quê? Eu não me envergonho de nada....mais uma vez não disse nada de mal. E se interpetou mal foi a única....Essa agora.....moralismos!!


Parabéns por levar tão a sério a sua função de moderadora...Mas não queira afrontar ninguém com isso senão só vai afastar utilizadores e não é isso que se pretende.

Bem :D vou trabalhar......O Stress a mim "é coisa que não me assiste" como diria o outro eheheh
Zimbardo
Membro Habitual**
Membro Habitual**
Mensagens: 196
Registado: sexta nov 14, 2008 12:00 am

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor Zimbardo » terça ago 16, 2011 10:36 pm

Enfim. Se o pessoal do fórum tivesse lido o primeiro post com atenção, eu escusava de ter lido tantas linhas de puro aborrecimento provocado por uma discussão infinita entre alguém cujas crenças são imutáveis* e outras pessoas que deram o seu melhor para tentar movê-lo :p



_______
*e eu também não sou crente
mjvcbc
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 8
Registado: sexta jan 15, 2010 1:04 am

Re: Á procura de Psicologo ateu no porto...

Mensagempor mjvcbc » quarta ago 17, 2011 5:23 pm

BernPinto Escreveu:
Apesar de eu achar que se espera um pouco mais em termos de atitude de um psicologo do que uma pessoa de outra profissão, mesmo fora do âmbito profissional.


Deixo apenas uma sugestão, que é livre de encaixar ou aproveitar como entender, levante essa sua convicção (já que é estudante de Psicologia) no contexto de sala de aula ou perante os seus professores.

Voltar para “Pergunte ao Psicólogo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante