Perdi a vontade de tudo...

Espaço dedicado ao público em geral: aqui poderá apresentar as suas questões e dúvidas, e contar com o apoio dos utilizadores deste fórum. IMPORTANTE: leia as Regras de Utilização antes de participar
Regras do Fórum
-----------
O Psicologia.pt não é responsável pelas intervenções dos vários participantes neste Fórum, sendo o teor desses conteúdos, bem como a utilização que se faça dos mesmos, da exclusiva e total responsabilidade de cada utilizador.
Com o objectivo de permitir o total anonimato, o fórum "Pergunte ao Psicólogo" é o único onde é possível a publicação de tópicos por utilizadores não registados.
Ao mesmo tempo, e como deve ser do entendimento de todos, o carácter "anónimo" dos fóruns faz com que este espaço não ofereça condições para interações que se desenvolvam para além da mera "troca de opiniões".
É expressamente proibida neste fórum a divulgação de serviços de psicologia bem como de quaisquer contactos de psicólogos (nomes, nºs de telefone, moradas e outros contactos).
O Psicologia.pt não se responsabiliza pelo rigor técnico e científico, idoneidade e respeito pelos princípios éticos e deontológicos de toda e qualquer participação.
Procrastinator
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 3
Registado: terça set 27, 2011 5:18 am

Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor Procrastinator » terça set 27, 2011 7:31 am

Muito bom dia,

Encontrei este fórum ao acaso, enquanto pesquisava possibilidades de apoio ao que quer que seja que se passa comigo. Tratando-se de um sítio online, logo sem o constrangimento de tentar fazer-me entender a alguém fisicamente diante de mim, tentarei resumir a minha situação e espero encontrar algumas luzes.
Tenho 22 anos e sempre fui um rapaz tímido, fechado, quase com medo da própria sombra. Desde que me lembro que tenho problemas de ansiedade que se foram agravando com o tempo e, entre isso e um par de traumas que me assombram – sendo que aqui não é difícil perceber quem veio antes, se o ovo ou a galinha – ‘quebrei’ há coisa de dois anos. Ataques de pânico cada vez mais agressivos e uma vontade de nada, acabei no psiquiatra. Fui diagnosticado com ‘estado depressivo-ansioso’ e estive a tomar Paroxetina, Diazepam e Lyrica e a ser acompanhado por um psicólogo. Isto durou cerca de 8 meses, com consultas de psicologia a acontecerem com pouca regularidade por motivo de sobrelotação do núcleo de psicologia do centro de saúde onde estava a ser acompanhado. De qualquer das formas, acabei por mudar-me da minha área de residência para voltar à faculdade e deixei de tomar a medicação e de receber qualquer acompanhamento.
Eu julgava que já estava tudo bem mas acho que, no fundo, queria estar bem e enganava-me a mim próprio. Até quando estava a ser acompanhado, tenho a noção de que, nas consultas, acabava por fazer aquilo que faço no mundo cá fora – fingir que está tudo bem para não enfadar ninguém. Estou outra vez a chegar a um ponto em que já não consigo lidar.
Sinto-me incómodo e desajeitado em contextos sociais e, de resto evito ao máximo situações sociais a não ser que esteja sob o efeito de álcool ou outras substâncias. Sinto-me francamente o mais ridículo dos seres, tenho vergonha de mim, de sair à rua… sempre com a sensação idiota de que estou a ser gozado e julgado. Isto é tão difícil de explicar… e falto às aulas porque fico mal só de imaginar o ambiente da faculdade, as pessoas, as salas de aula, os professores. Falto às aulas e depois sinto-me culpado. Começo a voltar à rotina de acabar o dia com a companhia de uma garrafa da qual vou beber só um copo, e que entretanto fica vazia, se bebo tudo à espera de que a embriaguez me ponha a dormir… porque não consigo dormir. Mantenho-me acordado até cair de exaustão e quando acordo deixo-me ficar estendido durante horas a tentar pensar numa razão para sair da cama. E, outra vez, sinto-me culpado com a visão da garrafa a fitar-me, vazia, em cima da mesa… o que não me impede de repetir o processo. :cry:
Lavo a cara, bebo o café… preparo a comida… faço as coisas normais que as pessoas fazem e sinto que não estou ali e não percebo porque é que as estou a fazer… tento ler e escrever, que são coisas que me costumavam dar prazer, e não sinto nada. Não me consigo concentrar, desisto ao fim de um paragrafo lido, de meia dúzia de linhas escritas… invento mil coisas para fazer, mil coisas que me distraiam… parecem todas elas geniais no momento em que me surgem e perdem a força quase no mesmo instante. E passo os dias assim, ou as noites assim – depende. Não sei o que fazer… só encontro um buraco, um vazio. Sinto que não estou aqui e no fundo queria não estar aqui.
Não posso dizer à minha mãe que estou outra vez assim… ou que continuo assim. Faço o teatro ao telefone todos os dias e pronto. Está tudo bem. Missão cumprida.
E, afinal de contas, não expliquei nada de jeito. Estou em lista de espera para consulta de psicologia no Hospital, mas consta que as listas são intermináveis e que podem passar-se meses. Tenho restos da medicação que costumava tomar, estou a pensar voltar a toma-la… entretanto, não sei. Peço desculpa por vir para aqui despejar as minhas frustrações, ainda mais de forma tão pouco clara… Imagino que, aos vossos olhos, seja só mais um deprimido entre tantos... :|
De qualquer das formas, desde já muito obrigado...
I_with_me
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 5
Registado: terça set 27, 2011 4:29 pm

Re: Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor I_with_me » terça set 27, 2011 8:02 pm

Olá, tenho a tua idade e estou numa situação semelhante e aconteceram/acontecem comigo muitas das coisas que referiste. Gostaria de ter mais tempo neste momento para responder à tua mensagem mas trabalho numa café e tenho de ir fazer o horário da noite (entro as 21:15). Contudo, deixo o meu mail se quiseres entrar em contacto: morais.tatiana@ymail.com. Posso não ajudar muito por estar numa situação semelhante mas partilhar esperiências pode fazer com que uma pessoa se sinta menos estranha e incompreendida. Sei que referiste que és tímido mas não te preocupes que eu não te vou julgar e estou aqui para escutar o que quiseres dizer. Aliás, eu compreendo perfeitamente tudo o que estás a passar. E sei que usas a bebida como forma de "fuga". Tentarei responder-te com mais tempo mais tarde... até breve.
Ana Rita
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 1794
Registado: terça ago 31, 2004 1:44 pm
Localização: Lisboa

Re: Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor Ana Rita » terça set 27, 2011 9:59 pm

É natural que nas consultas tenha feito o mesmo da "vida cá fora", pois é o que todos acabamos por fazer.E é precisamente por reproduzirmos com o psicólogo a forma como funcionamos no dia a dia que temos a possibilidade, naquele espaço, de gerar mudanças. Infelizmente a maior parte dos centros de saúde e hospitais não têm as condições necessárias para que isso aconteça de uma forma mais eficaz, quer pela lista de espera ou tempo reduzido de cada consulta. Tente procurar outras soluções para poder procurar um terapeuta, talvez com recurso a ajuda de familiares próximos, quebrando desde já a barreira de transmitir que está tudo bem. Se não reconhecer que não está psicologicamente saudável, dificilmente sairá espontâneamente da depressão e a bebida pode passar de uma fuga para uma dependência destruidora.
Pode ser ajudado, mas precisa de dar o primeiro passo para sair dessa bolha que está a criar à sua volta e que o faz ver o mundo todos os dias da mesma maneira. Quando estiver a ser acompanhado, fale com o seu psicólogo o que realmente sente nas consultas. Ele estará lá para isso.

Entretanto, aceite o convite da utilizadora anterior, pois ao partilhar sentimentos e pensamentos semelhantes com alguém que já passou ou passa pelo mesmo, é sempre uma boa ajuda.
Se caíres sete vezes, levanta-te oito.
Procrastinator
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 3
Registado: terça set 27, 2011 5:18 am

Re: Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor Procrastinator » terça set 27, 2011 10:55 pm

I_with_me Escreveu:Olá, tenho a tua idade e estou numa situação semelhante e aconteceram/acontecem comigo muitas das coisas que referiste. Gostaria de ter mais tempo neste momento para responder à tua mensagem mas trabalho numa café e tenho de ir fazer o horário da noite (entro as 21:15). Contudo, deixo o meu mail se quiseres entrar em contacto: morais.tatiana@ymail.com. Posso não ajudar muito por estar numa situação semelhante mas partilhar esperiências pode fazer com que uma pessoa se sinta menos estranha e incompreendida. Sei que referiste que és tímido mas não te preocupes que eu não te vou julgar e estou aqui para escutar o que quiseres dizer. Aliás, eu compreendo perfeitamente tudo o que estás a passar. E sei que usas a bebida como forma de "fuga". Tentarei responder-te com mais tempo mais tarde... até breve.


Olá, Tatiana. Obrigado pela tua mensagem. Agradeço e aceito a tua proposta! Vou enviar-te mensagem privada com o meu contacto. Até breve! :)

Ana Rita Escreveu:É natural que nas consultas tenha feito o mesmo da "vida cá fora", pois é o que todos acabamos por fazer.E é precisamente por reproduzirmos com o psicólogo a forma como funcionamos no dia a dia que temos a possibilidade, naquele espaço, de gerar mudanças. Infelizmente a maior parte dos centros de saúde e hospitais não têm as condições necessárias para que isso aconteça de uma forma mais eficaz, quer pela lista de espera ou tempo reduzido de cada consulta. Tente procurar outras soluções para poder procurar um terapeuta, talvez com recurso a ajuda de familiares próximos, quebrando desde já a barreira de transmitir que está tudo bem. Se não reconhecer que não está psicologicamente saudável, dificilmente sairá espontâneamente da depressão e a bebida pode passar de uma fuga para uma dependência destruidora.
Pode ser ajudado, mas precisa de dar o primeiro passo para sair dessa bolha que está a criar à sua volta e que o faz ver o mundo todos os dias da mesma maneira. Quando estiver a ser acompanhado, fale com o seu psicólogo o que realmente sente nas consultas. Ele estará lá para isso.

Entretanto, aceite o convite da utilizadora anterior, pois ao partilhar sentimentos e pensamentos semelhantes com alguém que já passou ou passa pelo mesmo, é sempre uma boa ajuda.


Agradeço o seu comentário, Srª Drª.

De facto, passei por essa situação no centro de saúde, tratando-se inclusive de um caso em que o psicólogo fazia consultas em vários centros de saúde o que resultava numa menor disponibilidade e consultas a acontecerem por vezes só mensalmente. É pena, porque chegou a estabelecer-se uma relação de confiança que me vi forçado a abandonar sem chegar a expor as questões mais sensíveis e que mais me assombram.

A barreira familiar é difícil de quebrar, quando se trata de uma situação em que o mal-estar psicológico é por eles percepcionado como pouco mais do que 'baboseira', e a solução não é outra senão a de 'faz-te homem e faz-te à vida...' Creio estar a dar o passo para sair da dita bolha... a única forma que consigo encontrar neste momento é a de procurar quem me possa ajudar a perceber a génese dessa bolha e eventualmente rebenta-la. Eu já tentei e sozinho não consigo senão afundar-me um pouco mais a cada dia, e desligar-me cada vez mais de mim e do mundo… é angustiante, mas a alternativa mais angustiante se mostra aos meus olhos.

Vou fazer por não cometer o mesmo erro de manter a máscara até no consultório, quando estiver a ser acompanhado.
Mais uma vez, obrigado! =)
Procrastinator
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 3
Registado: terça set 27, 2011 5:18 am

Re: Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor Procrastinator » terça set 27, 2011 11:01 pm

Já agora...

Falaram-me da existencia de clínicas/instituições com 'programas' destinados a tornar as consultas mais acessiveis e perguntava-me se alguém saberia algo a respeito de uma solução mais económica na região de Lisboa. O valor das consultas é, regra geral, bastante dispendioso e neste momento complicado de suportar... ainda mais sendo estudante deslocado. :oops:

Obrigado.
mancuso
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 13
Registado: quarta out 19, 2011 11:34 am
Localização: Inglaterra

Re: Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor mancuso » segunda out 24, 2011 9:47 am

Os pacientes poderão procurar a rede pública de saúde ou os Hospitais Escola ou ainda, as Clínicas de Psicologia das Faculdades para que possam ser atendidos em seus problemas de saúde e uma vez iniciado o tratamento, não deverão interrompê-lo. Feita a triagem, um profissional será indicado e este cuidará de seu caso. O que se deve evitar é a auto medicação ou a interrupção do tratamento isso em nada irá melhorar seu quadro.
Mancuso
robelyo
Membro Recém-Chegado
Membro Recém-Chegado
Mensagens: 1
Registado: terça dez 27, 2011 10:50 am

Re: Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor robelyo » quinta dez 29, 2011 11:15 am

Só não entendi o porquê de tomares a Lyrica já que a mesma é para Neuropatia e Fibromialgia!
Avatar do Utilizador
Liliana Costa
Psicólogo Registado (PT)
Psicólogo Registado (PT)
Mensagens: 627
Registado: terça fev 01, 2005 2:14 pm
Localização: Amarante,Porto
Contacto:

Re: Perdi a vontade de tudo...

Mensagempor Liliana Costa » segunda jan 02, 2012 9:47 pm

Colega

lyrica também é receitado para ansiedade generalizada....e até epilepsia...

Voltar para “Pergunte ao Psicólogo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 4 visitantes