PUB


 

 

Crónicas

  • Photo

    Morreu o homem dos seis dedos

    Partiu o homem que tinha seis dedos numa das mãos. Há quem diga que a morte é coisa para os fracos, que os génios nunca morrem, apenas desaparecem, que se incorporam numa outra dimensão cósmica. Foi certamente o que aconteceu ao homem dos seis dedos. Deambulava há muito tempo pelas ruas da Maia, procurando consolo e amparo nos cafés e nos lares que frequentava amiúde. Pedia, mesmo falando pouco, s ... ler crónica

  • Photo

    Trocar o pé por um pé de boi

    Eleutéria era, também de corpo, um mau feitio. Tinha uma linha que a seguia de cima a baixo, sem necessidade de cumprir quaisquer curvas, mas quando a medida era tirada de perfil, a linha contornante do seu corpo já exibia grandes lombas para a diante. Tudo isto, adicionado ao seu tamanho, que não ia além de um metro e pouco, construía um panorama que implicava comentários com ou sem graça, consoa ... ler crónica

  • Photo

    O gato e o joio

    Lá estava… Maria Augusta. Maria Augusta era uma académica que, dentro dos limites da sua profissão, tinha a consideração institucional desejada, devida à sua estratégica obediência ao formalismo imposto, o que lhe conferia uma confiança legítima e protagonizada por uma certa despreocupação, causada por uma certeza cega, impedindo a manutenção da útil crítica. Prestígio, fama, admiração e conquista ... ler crónica

  • Photo

    Epidemia… discursos dos corpos

    Num verão, em plena hora de calor, com o sol a pique, sufocava-se com o ar que não corria. Em comemoração dos 12 anos de casamento e do nascimento da filha Lídia, Alfredo e Amália integram a multidão veraneante de uma cidade costeira, num domingo de agosto. Amália e Lídia, mãe e filha, gostavam de estar na praia. Alfredo também, mas por outros motivos. ... ler crónica

  • Photo

    Ensaio sobre o primário

    Relaxados e sem réstia de pudor, estavam estatelados nos bancos do carro puxados para trás, enquanto pensavam num hotel para dormirem. Entretanto já Horácio tinha adormecido e roncava com pujança. Levou uma cotovelada da mulher, a Rosalina. Parou o ronco durante alguns segundos. Já não levou outra. ... ler crónica

  • PUB
      


  • Photo

    Quando o coração mingua, a mente agradece

    Como é difícil colocar a razão no comando da nossa existência. Por sua vez, a emoção nos rouba sem sequer percebermos. Cremos equivocadamente que a racionalidade é uma característica da personalidade de cada um, dizemos, então, que uns a tem, outros nem tanto, que uns são mais passionais, outros mais racionais. Tudo falácia! ... ler crónica

  • Photo

    A escola que educa cria uma sociedade íntegra

    A Escola continua a ser (ou é mais do que nunca) uma excelente oportunidade para a transformação pessoal e social. Tem o poder de mudar o mundo. Contudo, será desejável que essas mudanças contribuam para uma melhoria da qualidade de vida de todas as pessoas. A Escola deve respeitar e empoderar o indivíduo que, num processo cooperativo com outras pessoas, ajudará a mudar a sociedade. Sem muros e se ... ler crónica

  • Photo

    A criança e a chuva

    Saindo da mesma estação de metro como todos os dias desde que cheguei aqui, deparei-me com uma situação diferente, mas não incomum. Ali, do meu lado, uma criança de mais ou menos seis anos saía, no meio da multidão de estudantes, sozinha, com uma mochila nas costas e uma camisa listrada colorida, aquela que quase todos já usaram quando crianças. Lá se ia a pequenina, com seus raros seis anos de ex ... ler crónica

  • Photo

    O “atropelamento egocêntrico”

    Na sociedade dos tempos modernos encontramos frequentemente nas pessoas a necessidade de falarem excessivamente ou infinitamente sobre si próprias (obviamente, umas mais do que outras), anulando a possibilidade de outros sujeitos também poderem assumir o protagonismo. Felizmente, tenho tido a oportunidade de conhecer individualidades e grupos que são exemplares nas mensagens que passam e nas práti ... ler crónica

  • Photo

    Breves notas sobre as feiras científicas

    Decorreu na cidade de Braga, entre 12 e 15 de setembro, o 4º Congresso da Ordem dos Psicólogos Portugueses. Nesse encontro científico apresentou-se uma autêntica avalanche de comunicações orais e escritas, assistiram-se a largas centenas de discussões e painéis sobre tudo e mais alguma coisa, falaram ainda umas boas dezenas de “key speakers”. Quem é que, afinal de contas, com tantas comunicações a ... ler crónica