PUB


A importância do brincar na hospitalização de crianças com câncer

2017
claudiaparra@uol.com.br


A- A A+
A importância do brincar na hospitalização de crianças com câncer

A doença e hospitalização causam uma crise na vida da criança, sendo uma experiência traumática e estressante. Quando uma criança é diagnosticada com câncer esta experiência pode tornar-se ainda pior, pois as visitas ou ate mesmo estadia no hospital podem ser frequentes e duradouras. Além dos impactos físicos serem agressivos, a criança sofre com os aspectos psicológicos e sociais que sofrem alterações muito significativas, visto que a doença esta associada a pensamentos de morte e desesperança, além de interferir no cotidiano da criança que esta em fase de desenvolvimento, considerando que o brincar é importante neste processo. A brincadeira atende parte importante das necessidades da criança hospitalizada, promovendo e facilitando a interação grupal, e permitindo a ela aprender a como enfrentar suas emoções. Pensando assim, este estudo levanta questões sobre a temática da importância do brincar na hospitalização infantil e a importância da equipe multidisciplinar estar envolvida neste processo, visando proporcionar a criança um ambiente em que ela possa interagir, criar, jogar, inventar e utilizar o lúdico como estratégia de enfrentamento. A metodologia usada fundamentou-se em uma revisão bibliográfica referente ao tema proposto Foram considerados artigos de autores nacionais, disponíveis em sítios brasileiros.Analisou-se vinte e sete referências sobre o assunto, postados no período de 2007 à 2014. Os resultados destacam que a presença do profissional psicólogo é primordial neste processo, auxiliando a criança a compreender seus sintomas e sentimentos, além de auxiliar os cuidadores/família que também possuem papel importante neste processo, co-participantes do processo. A psicologia positiva, que é um movimento recente, porém de grande importância para a sociedade, vem se destacando nesta área, pelo seu novo olhar, deixando de evidenciar a doença/patologia em si, mas visando nutrir o que existe de melhor no individuo, trabalhado com a esperança, pra que ele não somente resista, mas floresça, saindo da reparação dos aspectos ruins da vida para a construção de qualidades e virtudes positivas, lembrando que essas virtudes podem florescer em qualquer momento da vida, em especial no aqui e agora.

 Ler texto integral em PDF